Enquanto alguns perguntam “Por quê?”, outros questionam “Por quê não?”. A China sabe responder a segunda pergunta. Ou as duas, na verdade. Praticamente todos os eletrônicos e seus componentes vêm de lá, e os chineses são artesãos no que fazem. É possível conseguir de tudo no mercado negro conhecido como Shenzhen, um dos maiores do país, e isso aparentemente inclui aumentar o armazenamento de um iPhone de 16 GB para um de 128 GB por apenas US$ 60 (ou R$ 240 na atual cotação do dólar). O processo leva cerca de 30 minutos e pode ser conferido no vídeo acima – mas em versão resumida de três minutos.

Para que se tenha uma ideia, a Apple cobra US$ 100 (cerca de R$ 400) por essa diferença de capacidade. Mas o upgrade encontrado no submundo chinês é algo que vem de um terceiro e custa US$ 40 a menos. Normalmente, o modelo de 128 GB do iPhone custaria US$ 200 sobre um aparelho de 16 GB. Também é possível realizar um upgrade para 32 GB por US$ 20 ou para 64 GB por US$ 35.

O funcionário do mercado Shenzen troca o armazenamento interno do smartphone da Apple por um componente da Toshiba. Todo o conteúdo previamente armazenado é transferido ao novo chip, portanto, os dados ficam intactos. O upgrade funciona com o iPhone 6, o iPad Air e dispositivos mais antigos, de acordo com o vídeo que abre esta notícia.

Desnecessário dizer que isso anula a garantia da Apple, certo?

Certo, mas não custa ressaltar. Como se trata de um processo vindo de terceiros presentes em um enorme mercado chinês, o usuário, ao fazer isso, anula a garantia da Apple.

Já existem diversas outras soluções para quem busca mais espaço além do armazenamento do iPhone, como drives em miniatura que funcionam muito bem – a exemplo do Hyper, mostrado na CES. Há inclusive versões que aceitam cartão microSD.

Difícil driblar esses chineses, não? Enfim. Enquanto a gente vai, eles já estão voltando...

Você faria o upgrade do armazenamento do seu iPhone de 16 GB para um de 128 GB no mercado negro chinês? Comente no Fórum do TecMundo.

Cupons de desconto TecMundo: