Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Missouri, nos EUA, concluiu que donos de iPhones ficam “menos inteligentes” quando estão separados de seus smartphones da Maçã. Os testes foram feitos com 40 indivíduos que não sabiam que a pesquisa era relacionada aos aparelhos. Eles responderam a várias perguntas enquanto estavam com o dispositivo no bolso e, depois, tiveram que se livrar do aparelho por algum tempo.

Curiosamente, os voluntários responderam às perguntas do teste com mais precisão enquanto estavam com os iPhones no bolso, mesmo não podendo consultá-los para ajudar nas respostas. As respostas dadas depois que o aparelho foi removido, com a desculpa de que o “Bluetooth estaria causando interferência”, apresentaram mais erros.

Ansiedade

De acordo com os pesquisadores, as pessoas ficaram ansiosas quando não estavam com seus iPhones colados ao corpo e, por isso, perdiam a concentração com mais facilidade. Dessa maneira, não conseguiram ter o mesmo desempenho em testes que exigiam esforço mental. Ou seja, elas ficaram “menos inteligentes”.

O líder do estudo, Russel Clayton, falou com a assessoria da universidade e disse que os iPhones estão se tornando quase que uma extensão dos seres humanos. “Nossas descobertas sugerem que a separação entre usuário e iPhone pode ter um impacto negativo na performance dessas pessoas durante tarefas de esforço mental. Além disso, os resultados do nosso estudo sugere ainda que os iPhones são capazes de se tornarem uma extensão de nós mesmos de tal forma que, quando separado de nós, experimentamos um estado fisiológico negativo”.

Naturalmente, um estudo simples como esse, que só contou com 40 voluntários, não pode ser etendido como verdade absoluta, mas realmente ilustra a situação de alguns indivíduos que não conseguem abandonar seus smartphones em momento algum. E você? Acha que consegue manter o cérebro funcionando normalmente sem o celular no bolso?

Cupons de desconto TecMundo: