A polícia chinesa informou que deteve no dia 4 de setembro um funcionário da Foxconn por roubar carcaças do iPhone 6 e vazá-las uma semana antes do anúncio oficial do aparelho.

A empresa, que tem a Apple como uma de suas maiores clientes, teve os componentes roubados de uma fábrica da zona de Jincheng.

Aparentemente, o suspeito de 40 anos, de sobrenome “Qiao”, vendeu seis carcaças do dispositivo e recebeu 6 mil yuans (cerca de R$ 2.284, em conversão direta na cotação atual) por elas.

Um anúncio tentador

O The Wall Street Journal disse que, no dia 24 de julho, ele teria achado um anúncio perto da fábrica de alguém querendo comprar “peças da Apple por um alto preço”. Ao entrar em contato com o número de telefone exibido, alguém teria oferecido a ele mil yuans por cada carcaça do smartphone entregue.

De acordo com o jornal local Taihang Daily, Qiao escondeu as peças em seu bolso e conseguiu passar pela checagem de segurança ao deixar a fábrica durante o horário de pico. Ele então enviou. O porta-voz da Apple não comentou o acontecido, mas a Foxconn disse esperar que os funcionários sigam o código de conduta da empresa.

Vale lembrar que as versões 4 e 4s do iPhone também tiveram imagens vazadas e que, com o passar dos anos, tem chegado à mídia informações muito precisas sobre vários lançamentos da Apple, como o iPad Air e iPhone 5, muito antes de seus respectivos lançamentos.

Cupons de desconto TecMundo: