Comparação entre iPad Air, iPad mini com tela Retina e iPad mini. (Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

Antes do lançamento dos novos modelos de iPad, muito se especulou se a segunda geração do iPad mini contaria ou não com a tela Retina, de maior densidade de pixels e consequentemente maior resolução gráfica, como a versão maior do tablet da Apple.

O desejo da maioria foi atendido, mas, apesar do lançamento do iPad mini com tela Retina, o produto ainda tem uma qualidade inferior ao esperado. Isso é o que diz o relatório de testes revelado pelo site AnandTech.

De acordo com essa publicação, a segunda geração do iPad mini tem as mesmas características de qualidade de imagem do seu irmão maior, mas sacrifica um pouco da nitidez das cores no seu processamento. Nesses testes, constatou-se que o iPad mini com tela Retina apresenta menos cores em comparação ao iPad Air.

Entre os dados apresentados para explicar esse resultado, estão tabelas que indicam a menor qualidade da tela do novo iPad mini em relação a outros aparelhos, especialmente no que se refere a saturação e gama de cores. A resolução do dispositivo da Apple chega a ter desempenho inferior ao iPad Air, iPad 4, Nexus 7 e ao Tegra Note 7.

Testes de saturação de cores: uma taxa menor indica uma melhor qualidade. (Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

Na prática, isso significa que há uma qualidade menor na tela Retina desse aparelho em relação a outros modelos, mas isso não deve fazer muita diferença ao consumidor final. O dispositivo ainda apresenta uma resolução de tela excelente, superior à do iPad mini da primeira geração, e ainda muito atraente aos olhos.

De acordo com o site que realizou esses testes, o público que pode implicar com o resultado da tela do novo aparelho é aquele que trabalha diretamente com processamento gráfico, imagens e fotografias. Quem exige o máximo de resolução, nitidez e ampla escala de cores não vai querer abrir mão do que o iPad Air pode oferecer.

Cupons de desconto TecMundo: