(Fonte da imagem: Reprodução/Apple)

Faz alguns meses que todos estão com grandes expectativas para o lançamento de um novo iPad, com dimensões reduzidas em relação ao atual aparelho. E é amanhã que alguns rumores serão confirmados – outros completamente desmentidos – e o aparelho será mostrado para o público. Mas o que nós esperamos do iPad mini? Quais serão os novos recursos?

Primeiro, ainda não podemos afirmar nem que o nome dele será iPad mini, pois já surgiram alguns rumores (sem muita força, é verdade) de que ele poderia chegar ao mercado com o nome de iPad Air – outros dizem que ele seria o “iPad 7”. Mas o mais provável é mesmo “iPad mini”. A verdade é que isso é o que menos importa, pois o que realmente nos interessa está nos próximos parágrafos.

Design inovador ou apenas miniaturização?

Esperar que tenhamos uma inovação grandiosa no design do iPad mini é um pouco demais. Como já vem sendo cogitado há vários meses, o aparelho deve realmente ser uma versão reduzida do atual modelo do tablet. Com essa informação, não fica difícil imaginarmos que o aparelho chegará praticamente igual ao que já conhecemos.

(Fonte da imagem: Reprodução/Cult of Mac)

Se existir alguma alteração, pode ser na espessura, que agora pode surgir um pouco mais reduzida. Devido à tela menor, a bateria do tablet também deve ser reduzida, permitindo que a Apple produza aparelhos menos espessos do que a versão de 10 polegadas – levando em consideração a terceira geração dos aparelhos.

Tela Retina? Talvez não!

É quase impossível que o iPad mini seja mostrado com telas maiores do que 7,85 polegadas – e menores do que 7 polegadas. Na realidade, a verdadeira dúvida em relação à tela está na possível ausência da tela Retina. Segundo fontes ligadas às fábricas que estão produzindo o aparelho, o iPad mini estaria sendo produzido com telas comuns – parecidas com as utilizadas pelo iPad 2.

Hardware similar ao modelo de 10 polegadas

Até agora, ninguém aposta que o iPad mini vá aparecer com configurações inéditas de hardware. O que se espera é que o processador utilizado seja o A5 (o mesmo presente na terceira geração dos iPads, mas talvez com algumas modificações) e que ele tenha 512 MB de memória RAM (a metade do que o “irmão maior” oferece).

(Fonte da imagem: Reprodução/Cult of Mac)

Quanto à memória de armazenamento, não há muitas chances de a Apple fugir do atual padrão (16 GB, 32 GB e 64 GB) utilizado. Alguns poucos meios da imprensa internacional apostam em uma versão de 8 GB, mas vale lembrar que nem mesmo o iPhone está sendo produzido com essa opção.

A bateria pode ser o grande trunfo do iPad mini. Espera-se que ela tenha mais potência do que a utilizada pelo iPhone  5 e um pouco menos do que oferece a do novo iPad. Levando em consideração o fato de que a tela Retina pode não estar presente (e que ela é uma grande responsável pelo consumo de bateria), o novo aparelho pode oferecer muito mais autonomia para os consumidores.

Outros recursos

Como fica claro, não há muitas expectativas em relação ao iPad mini que não sejam baseadas na atual geração dos tablets. Por essa razão, espera-se que ele seja lançado com as mesmas características e tecnologias de conectividade já conhecidos. Isso significa que ele deve realmente ser anunciado com conexões 4G, 3G, Wi-Fi e Bluetooth.

(Fonte da imagem: Reprodução/iPhone Hacks)

Também é bem provável que o aparelho seja anunciado como o novo conector Lightning, que já foi apresentado com o iPhone 5. Os outros recursos não devem surpreender: tecnologia Siri e a incrível variedade de aplicativos disponíveis na App Store da Apple. O que ainda não sabemos é se os atuais apps para iPad poderão ser executados na tela reduzida do iPad mini ou se os programas de iPhone é que serão utilizados.

.....

As respostas nós saberemos amanhã. E você confere a cobertura do evento ao vivo aqui no Tecmundo. Vale lembrar que, no mesmo evento, também devem ser mostrados novos computadores Mac (Mac mini e Macbook Pro de 13 polegadas com tela Retina) e também uma nova versão do terceiro iPad (com algumas pequenas modificações).

Fonte: Terra, CNET, Gizmodo Australia, iPhone Hacks e Cult of Mac

Cupons de desconto TecMundo: