A startup Coin, baseada em San Francisco, apresentou o seu primeiro produto nesta semana. Trata-se de um dispositivo no formato de um cartão de crédito comum capaz de armazenar digitalmente as informações de até oito cartões de crédito, débito, presente ou outros tipos de cartões magnéticos. Os usuários podem então escolher qual cartão utilizar a partir de um botão circular presente em uma de suas faces. A partir daí, o Coin pode ser lido por qualquer máquina de cartão ou caixa eletrônico da mesma maneira como os cartões originais.

O dispositivo funciona por conta de uma tira magnética que pode ser alterada. Ele também conta com um pequeno leitor que os usuários podem utilizar para escanear outros cartões para um aplicativo para smartphones. A partir daí, basta sincronizar o aplicativo com o cartão por meio do BLE (Bluetooth de Baixa Energia, em inglês) para que os seus cartões sejam armazenados no Coin.

De acordo com a sua fabricante, a bateria do Coin dura até dois anos, servindo para alimentar um pequeno display apresentando os últimos quatro dígitos do número do cartão selecionado, assim como a sua data de validade e seu código de segurança. Ao mesmo tempo, como o Coin está em comunicação constante com o seu smartphone via BLE, caso o seu dono o esqueça por acidente em algum estabelecimento comercial, o aplicativo do cartão emitirá um alerta conforme a distância aumentar.

Atualmente, o Coin está em fase de pré-venda por US$ 50 (cerca de 116 reais, de acordo com a cotação atual). Quando o dispositivo finalmente chegar ao mercado, no segundo semestre de 2014, o seu preço aumentará para US$ 100 (R$ 232).

Cupons de desconto TecMundo: