Linhas de um átomo

Fonte da imagem: Guy Le Lay/Science News

Se você já ouviu falar do grafeno, sabe que ele é cotado como o grande responsável por substituir outros elementos (especialmente o silício) na construção de computadores e baterias, trazendo alta condutividade para os equipamentos eletrônicos.

Entretanto, existem inúmeras pesquisas sendo realizadas para trazer novas opções para a produção de condutores e semicondutores, levando o que há de melhor na física e química para o seu próximo computador.

Um desses novos produtos é o siliceno, testado experimentalmente por dois times diferentes de especialistas. Tanto os físicos da Ishikawa (no Japão) quanto de Marselha (na França) chegaram a uma estrutura similar, capaz de realizar as mesmas tarefas que uma folha de grafeno.

O siliceno (silicene) é uma lâmina extremamente fina, com um átomo de espessura. Porém, em vez de ser construído com grafite, como o grafeno, ele tem uma camada de silício, produto já largamente usado na indústria eletrônica.

Estrutura do siliceno

Fonte da imagem: Guy Le Lay/Science News

Apesar de não se alinhar naturalmente para formar a lâmina, o silício pode ser manipulado com prata e cerâmica para apresentar essas características. Com isso, o siliceno está mais integrado com os aparelhos eletrônicos da atualidade, já que eles se utilizam do elemento para funcionar.

Os estudos sobre esta nova forma ainda estão em fase inicial, ou seja, ainda são necessários vários anos para que a novidade seja aplicada em aparelhos comerciais. Além disso, os cientistas precisam encontrar uma maneira mais simples de criar o siliceno, para que ele se torne tão viável quanto o grafeno.

Cupons de desconto TecMundo: