O Pornhub é um dos maiores sites de entretenimento adulto na internet. Além disso, o site é o mais ativo em campanhas de marketing, seja para atrair novos usuários, para realizar brincadeiras em datas comemorativas ou apresentar novas tecnologias, como o pornô para Oculus Rift. Agora, o Pornhub está fincando uma bandeira contra a pornografia de vingança — os vídeos e nudes postados sem o consentimento da pessoa retratada. 

Esta bandeira foi colocada com uma nova área do site em que o usuário pode reclamar a autoria de um vídeo e retirá-lo do ar de maneira mais fácil. Para conhecer esta área, clique aqui (atenção, ela é NSFW, ou seja, contém imagens bem sugestivas). 

O site de pornografia possui cerca de 60 milhões de visitantes diariamente. Isso significa que o fluxo de novos vídeos é muito alto. Apesar de não comentar sobre quantos pedidos recebe para retirar algum arquivo do ar, a equipe por trás do domínio disse que as reclamações caíram 38% nos últimos dois anos. 

Ser uma pessoa que está sofrendo com isso já é algo embaraçoso o bastante. Então não queremos deixar as pessoas mais desconfortáveis

"É vital que deixemos a nossa comunidade se sentir segura", disse o vice-presidente do Pornhub, Corey Price. "Nós queremos que os usuários saibam que este novo processo, em primeiro lugar, serve para a segurança e a paz de espírito da comunidade". 

No Brasil, existe a Lei Carolina Dieckmann (Lei 12.737/2012) que tipificou os crimes informáticos. Apesar de ainda ser um pouco confusa, ela visa combater exatamente a pornografia de vingança e invasões de gadgets. 

Mary Anne Franks, vice-presidente da Cyber Civil Rights Initiative, comentou que "o Pornhub é o primeiro grande site pornô que toma esta atitude de maneira pública contra a pornografia sem consenso". Além disso, "que a ação vai permitir que as vítimas consigam remover o material privado de uma das maiores plataformas na internet, o que é de grande ajuda". 

Pedido de retirada

Antes, caso uma vítima quisesse retirar um vídeo no ar, era necessário enviar um email fornecendo os motivos. Agora, basta preencher um pedido em uma página específica com informações básicas como nome, email e URL do vídeo em questão.

O Pornhub ainda vai perguntar se a pessoa que está realizando o pedido concordou com a distribuição do conteúdo e vai enviar uma "assinatura digital" — dessa maneira, é possível comprovar a identidade da vítima. Após tudo isso, uma equipe do site vai investigar e remover o material. 

Diferente de outros domínios, que exigem documentos reais das vítimas, o Pornhub vai trabalhar com uma política de anonimato para proteger as pessoas. "Ser uma pessoa que está sofrendo com isso já é algo embaraçoso o bastante. Então não queremos deixar as pessoas mais desconfortáveis ou apreensivas ao entrar em contato conosco", disse Price.

O que você acha desta atitude do Pornhub? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: