O governo cubano anunciou nesta semana novos planos de expandir o acesso à internet aos cidadãos de seu país. A iniciativa inclui a redução no preço cobrado pela hora do WiFi público oferecido no país e a implementação de conexão sem fio nos 35 centros de computação governamentais operados pelo governo

Com a decisão, o acesso a internet passa de US$ 4,5 por hora para US$ 2, o que deve ajudar a ampliar o número de pessoas capazes de se conectar à rede mundial de computadores. Junto ao anúncio do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de que o país iria normalizar suas relações com Cuba, o anúncio deve ajudar a aumentar o número de pessoas que acessa a internet.

“Seu modelo era ‘ninguém entende a internet’”, afirmou o professor Ted Henken, da Baruch College, em uma entrevista ao The Net York Times. “Agora seu modelo é: ‘vamos baixar preços e expandir o acesso, mas vão tornar isso uma decisão soberana e fazer isso em nossa própria velocidade”.

Entre as atitudes tomadas pelo governo cubano para ampliar a cobertura local está a instalação em 2013 de um cabo de fibra ótica ligado à Venezuela. Além disso, o governo abriu seu primeiro centro público de WiFi este ano, oferecendo conectividade gratuita a todos os cidadãos — para completar, um relatório confidencial mostra que há planos de que pelo menos metade da população do país tenha conexão banda larga em suas casas até a metade de 2020.

Cupons de desconto TecMundo: