Como em todos os sistemas políticos e econômicos, morar em Cuba tem suas vantagens e desvantagens. Infelizmente, a censura é um dos problemas do país. Contudo, vários jovens estão conseguindo sobreviver com as restrições sobre a internet e montaram a própria rede para compartilhar informações e até jogar World of Warcraft.

Antes de entender a razão disso, é necessário perceber a motivação: em apenas uma hora navegando na internet em uma lan house em Havana, o usuário gasta quase um quarto do salário mensal mediano em Cuba.

Desde 2001, cubanos aficionados por tecnologia vêm montando uma rede que se estende por toda Havana. Ela utiliza antenas WiFi e cabos escondidos em cima de casas e prédios. De acordo com a Associated Press, cerca de 9 mil computadores já estão conectados.

Os resultados dessas antenas e cabos são uma rede chamada Snet (streetnet). Seus usuários costumam trocar informações, compartilhar arquivos e jogar alguns games online, como World of Warcraft ou Call of Duty.

Mas nem tudo são flores: a censura ainda existe, mesmo que dentro de um acordo velado. "Nós não estamos anônimos porque o país precisa saber que esse tipo de rede existe. Eles precisam proteger a nação e sabem que 9 mil usuários podem abordar assuntos para qualquer finalidade", comentou Rafael Antonio Broche Moreno, um engenheiro elétrico de 22 anos que ajudou na construção da Snet.

As declarações de Moreno ainda comentam a razão de os usuários ficarem sob a luz, e não escondidos: "Nós não mexemos com ninguém. Tudo o que queremos é jogar alguns games e compartilhar ideias saudáveis. Não tentamos influenciar o governo ou o que está acontecendo em Cuba... Nós fazemos a coisa certa e eles nos deixam ficar com a rede".

"A coisa certa"

Essas ações comentadas por Moreno incluem fatores como restrições sobre pornografia. É terminantemente proibida a busca por homens e mulheres nus na rede. Discutir política também é algo proibido — quem for pego é expulso da Snet e fica sem acesso.

Mesmo assim, a arquitetura completa da rede é ilegal, já que o uso do equipamento WiFi não foi sancionado por Cuba, de acordo com a Associated Press.

Segundo os oficiais cubanos, o acesso à internet é limitado principalmente por causo do embargo feito pelos Estados Unidos da América — as restrições tornavam a compra de equipamentos praticamente impossível. Agora, com o presidente Obama comentando uma abertura próxima e o fim dos embargos aos cubanos, os jovens do país têm maior esperança sobre a liberdade na internet.

A ação da população jovem cubana sobre esse assunto, mesmo que "andando na linha", é louvável e pode ser chamada até de um pequeno levante. Historicamente, as revoluções acontecem quando a situação é inevitável. 

Cupons de desconto TecMundo: