Pense num buscador de conteúdo online, mas não aquele que todo mundo conhece. Não entendeu? Pense num site tipo o Google. Muita gente deve ter falado Yahoo, ou Altavista, e os mais nostálgicos lembraram do Cadê. Na China, você teria que mudar a pergunta, e perguntar “pense num site tipo o Baidu”. Sim, o Google não é o sinônimo de pesquisas na China. O Baidu é!

Existem diversos serviços líderes de mercado no mundo todo, mas que na China são apenas mais um na disputa pela preferência dos clientes e usuários, embora muitas vezes o mercado chinês represente uma parcela grande da lista de usuários de um site internacional, mesmo não sendo o principal da categoria na China.

Em virtude do firewall chinês, conteúdos acessados no mundo todo não podem ser vistos na China, o que gera necessidades diferentes para o público local. Conheça agora algumas saídas, sites, clones e programas utilizados no país da Grande Muralha.

BAIDU (CONCORRENTE: GOOGLE)

O Baidu é um ótimo exemplo da adaptação de outros serviços para a comunidade chinesa. Seu layout lembra bastante o do pesquisador mais conhecido do mundo, e a sua home traz links para sistema de notícias, imagens, músicas e vídeos, bem como um sistema de localização, semelhante ao Google Maps.

É fato conhecido que o governo chinês leva em conta o conteúdo online com muita seriedade, e por isso criou um sistema de controle conhecido como O Grande Firewall (muralha de fogo) da China. Sites como o Google e o YouTube possuem resultados censurados em território chinês, e pesquisas por termos como Comunismo, Praça Vermelha e Falun Gong (uma filosofia de aperfeiçoamento do corpo e mente proibida na China) são vetadas.

Sites como o Baidu, criados pelos e para os chineses entendem essa necessidade do Governo e inserem esse firewall diretamente na raiz da pesquisa online.

Serviço de buscas Baidu.

Agora, se você está querendo encontrar cópias baratas, experimente acessar o site do Goojji. Depois comente sobre a “semelhança” com um certo buscador de internet (dica: acesse a versão em inglês do site).

TENCENT QQ (CONCORRENTE: MSN)

O site do mensageiro instantâneo mais popular da China é o mais acessado do mundo no segundo bimestre de 2010 segundo o Ad Planner Top 1000 Sites, uma ferramenta da Google para auxiliar empresas com anúncios na internet.

A versão original do programa de mensagens instantâneas era muito semelhante ao ICQ (alguém aí se lembra do seu UIN?) e com o tempo foi ficando mais parecido com o MSN Messenger. Além do visual, o QQ é conhecido por copiar trechos de códigos dos programas “originais”, e até mesmo um trecho do EULA (Contrato de Licença de Usuário Final) do Skype já foi encontrado “perdido” no EULA do QQ.

SINA (CONCORRENTE: TWITTER)

O Twitter é a ferramenta que iniciou o microblogging no mundo. Na China foi igual! Mas em pouco tempo, o governo chinês percebeu que era uma forma de comunicação que permitia ao usuário expressar suas ideias com o mundo todo, e o Grande Firewall Chinês não gostou muito. O Twitter foi bloqueado.

Twitter chinês: conheçam o Sina.

Entretanto, surgiu o Sina: um serviço de microblogging muito semelhante ao Twitter, mas com o alvará do governo para o funcionamento (o portal de notícias do Sina também está disponível em inglês). É claro que isso quer dizer que a privacidade do usuário não é exatamente respeitada, e o governo tem acesso irrestrito a todas as informações pessoais dos usuários. Entretanto isso não parece incomodar os chineses, e o serviço vem sendo utilizado cada vez mais como forma de comunicação entre jovens e adultos em todo país.

YOUKU (CONCORRENTE: YOUTUBE)

Mais um site “baseado” em uma versão internacional muito conhecida. O YouKu é a versão chinesa do YouTube, mas aqui é permitido colocar filmes e episódios inteiros de seriados. A política de direitos autorais, tão falada no mundo todo, não se aplica aqui. Entretanto, a política de controle e visualização de conteúdo ainda está presente aqui. O governo chinês sabe o que você está vendo. Mas novamente, isso não parece incomodar os chineses.

YouKu quer dizer

O YouKu é o site número um em compartilhamento de vídeos online na China, e é conhecido por utilizar tecnologia P2P para aumentar a velocidade de transferência dos vídeos e diminuir a carga do site. A quantidade de banda disponível para os vídeos é uma preocupação constante quando você tem mais de 300 milhões de usuários visitando seu site diariamente (sim, quase 8% da população da China assiste vídeos no YouKu todos os dias).

CÓPIA BARATA OU ADAPTAÇÃO LOCAL?

Muitas pessoas acham (e muitas outras têm certeza) que os chineses são mestres em copiar de tudo, e não produzem conteúdo próprio. O Baidu é cópia do Google, o QQ é cópia do MSN e por aí afora. Felizmente estas pessoas estão erradas. É claro que existem sites como o Goojjie (lançado na época em que o Google ameaçou retirar seu escritório da China), mas grande parte das iniciativas WEB 2.0 chinesas são legitimas ao tentar levar para o usuário informações de qualidade (desde que aprovadas pelo governo).

A censura e controle destas informações não parecem incomodar a maioria dos chineses. Embora muito do conteúdo online seja restringido (pornografia, sites que vão contra o governo e outros tópicos sob a discrição do estado), as soluções chinesas tornam a web “segura” para seus usuários.

Segundo a Pew Internet, 85% dos chineses aprovam a censura ao conteúdo online, e 93% acham que a maior parte do conteúdo online não é bom para as crianças. Para estas pessoas, a Grande Muralha de Fogo chinesa foi uma das melhores coisas que já aconteceram na internet.

Cupons de desconto TecMundo: