"Orgia nazista" persegue Mosley desde 2008 (Fonte da imagem: Reprodução/PressGazette)

Um tribunal de Paris ordenou à Google bloquear em seu buscador os resultados de imagens referentes a uma orgia praticada por Max Mosley, ex-presidente da Fórmula 1, que teria ocorrido sob um tema nazista. A ordem do tribunal é referente a um processo que Mosley move contra a empresa na França, a fim de evitar a propagação de nove imagens vazadas.

O ex-dirigente da organização que controla campeonatos de automobilismo já moveu processos semelhantes em outros países a fim de remover o conteúdo da web, mas nunca contra a fonte direta do vazamento. No Reino Unido, ele recebeu uma indenização de 1 euro por um processo e conseguiu fazer o tabloide acusado se desculpar e tirar o conteúdo do ar naquele país.

Outra ação contra a empresa de mídia News Corp sobre o mesmo assunto, também no Reino Unido, rendeu a Mosley £60 mil, cerca de R$ 185 mil.

Ainda não há informações sobre a forma como a Google deve bloquear esse conteúdo ou detalhes da abrangência desse bloqueio. Ainda assim, é de se esperar que isso só seja válido na França, já que Mosley tem processos seguindo também na Alemanha para o mesmo caso.

Cupons de desconto TecMundo: