Você é dependente da internet? Bancos, sistemas de hospitais, supermercados, compras, atualmente quase todos os serviços disponíveis podem ser utilizados através da rede mundial de computadores. Se antes era impensável fazer compras sem sair de casa, hoje é possível não só adquirir produtos pela internet como também deixar o mundo uma verdadeira bagunça sem deixar o conforto e a segurança do seu quarto.

Desordem total

Boa parte dos serviços prestados hoje em dia utilizam a internet de alguma maneira. Os bancos, por exemplo, além de disponibilizarem serviços como pagamentos, transferências, extrato e empréstimos pela internet também utilizam a rede para enviar e receber os dados de clientes dos servidores centrais.

Se os crackers – hackers do mal – são capazes de invadir o sistema de empresas poderosas, como o que ocorreu com a Google na China em dezembro de 2009, imagine o que eles não fariam se invadissem o sistema de controle de metrôs, aviões, abastecimento de água e eletricidade de uma cidade? No caso da Google, falhas no Internet Explorer permitiram que gente de fora acesse a rede interna da empresa. Um navegador, que muitos usuários utilizam, quase causou sérios prejuízos para a gigante da internet.

Piratas da internet  estão de olho!

O problema de deixar a tecnologia comandar praticamente tudo o que fazemos é que sistemas estão sujeitos a falhas de segurança e também de execução. Se a rede de abastecimento de água for comprometida devido alguma sobrecarga nos servidores, por exemplo, pode-se abrir uma brecha na segurança do sistema inteiro. E por isso é só o que os crackers ficam esperando: uma chance de entrar na sua vida e dela não sair assim tão fácil.

Os crackers da atualidade não estão mais preocupados apenas com a invasão de sites e sistemas. Claro que essa continua sendo a principal atividade deles (ou seria passatempo?), mas os sistemas de bordo inteligentes de carros e outros veículos também se tornaram alvos cobiçados.

No começo deste ano, um hacker mal intencionado foi detido por ter invadido e controlado mais de 100 automóveis no estado do Texas fazendo uso do chamado Webtech Plus. Esse sistema permite que os vendedores desativem a ignição dos carros ou acionem a buzina para lembrar os donos do veículo sobre os pagamentos atrasados. O hacker, de apenas 20 anos, disparava a buzina dos carros no meio da noite e cortava a ignição no meio da estrada.

A bolsa de valores mais famosa do mundo, a Nasdaq, também já foi alvo de ataques e invasões. Um cracker russo “mexia seus bits” para tornar as ações muito mais lucrativas do que elas realmente eram, colocando alguns zeros a mais à direita do valor dos títulos. Depois de lucrar US$ 660 milhões, o golpe foi descoberto e o hacker, preso.

A internet fora do ar

Você já pensou em como seria a vida sem internet? Embora especialistas digam ser praticamente impossível derrubar a web do mundo inteiro ao mesmo tempo, sempre há a possibilidade de alguma coisa sair muito errada.

Em 1989 a cidade de Quebéc, no Canadá, ficou sem luz devido a uma tempestade solar de pequena proporção. Agora, se as proporções crescerem, aumenta também a chance de os campos magnéticos da Terra serem atingidos por uma bola de plasma e a rede elétrica, bem como todos os eletrônicos e boa parte das tecnologias, literalmente fritar. Seria o primeiro passo rumo ao apocalipse tecnológico.

Embora isso seja possível, é mais fácil o mundo da internet entrar em curto devido algum ataque hacker. Bastaria atacar o sistema de nome de domínios e fazer da rede mundial de computadores um verdadeiro caos. Já imaginou digitar o endereço do Baixaki na Barra do seu navegador e acabar em um site com conteúdo impróprio? Caso isso viesse a acontecer, nem a gigante Google estaria a salvo.

Um mundo sem internet?!

 

Até que ponto vale a pena depender tanto da internet? Mesmo com todas as medidas de segurança sendo tomadas, não é raro ver no noticiário invasões a sistemas de grande porte. Se nem mesmo a Google, famosa também por seu forte sistema de segurança de dados, conseguiu ficar imune aos ataques de crackers, o que poderia acontecer se algum hacker invadisse o sistema de um banco?

OS hackers são pacientes e podem estar apenas aguardando o momento certo, aquela brecha minúscula no sistema para fazer uma verdadeira bagunça na vida das pessoas. Aeroportos, bancos, bolsa de valores, sistemas de abastecimento de água e distribuição de energia elétrica, enfim, praticamente tudo está conectado na maior rede de computadores do mundo, logo são alvos de ataques.

Cupons de desconto TecMundo: