(Fonte da imagem: Reprodução/Techguru)

No Brasil, já é algo “normal” quando alguém contrata uma empresa para ter acesso à banda larga, mas a velocidade da internet está abaixo da que foi firmada no contrato — e isso ocorre principalmente nas regiões Norte e Nordeste do país.

Por conta da grande reclamação vinda de pessoas que contratam esse tipo de serviço, os Procons de todos os estados do país estão investigando as companhias que não cumprem nem o mínimo que foi determinado pela Anatel.

Segundo a agência de telefonia brasileira, as empresas são obrigadas a entregar no mínimo 20% da transmissão instantânea prometida e 60% de toda a média mensal — o que vai depender do contrato assinado, é lógico. Além disso, as bandas largas móveis devem apresentar apenas 5% de redução da velocidade determinada.

E nem isso acontece...

Você até pode achar que essa determinação da Anatel ainda dá muita folga para as empresas prestadoras de serviço, mas análises dos Procons comprovam que nem essas regras são cumpridas. Por conta disso, há companhias que trabalham com apenas 10% da velocidade prometida.

O estudo feito pelo órgão de defesa do consumidor ainda não foi terminado, mas ele vai ser levado até a Anatel assim que estiver pronto — o que deve ocorrer até 10 de dezembro. Contudo, você não precisa esperar que isso aconteça para ter os seus direitos garantidos, pois é possível pedir o abatimento no preço cobrado pelo serviço de acordo com a qualidade dele.

Vamos torcer para que essa iniciativa dê bons frutos, já que ela pode melhorar a velocidade da internet “vendida” no Brasil ou gerar propostas de contratos mais honestas.

Cupons de desconto TecMundo: