Muita gente gosta de chamar carinhosamente seu carango de “nave”, mas desta vez quem está aproximando seu carro dos aviões a jato é a tecnologia automobilística. Assim como nos caças, o head-up display é capaz de imprimir informações importantes sobre a navegação direto no para-brisa, evitando que o motorista desvie sua atenção de onde mais importa: a estrada. A ideia não é nova, mas aliado aos novos recursos da indústria, o HUD ainda vai revolucionar a maneira como guiamos.
Direto dos aviões
GPS, controle de tração, sistema de navegação inteligente, computadores de bordo, todos estes equipamentos se preocupam com a segurança do motorista, mas ironicamente acabam desviando o olhar e a atenção do motorista. Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Berkeley, Califórnia, um motorista demora cerca de 2 segundos para fazer a leitura de um instrumento no painel e voltar a focar sua atenção na direção. Se deslocando a 100 km/h, isso corresponde a cerca de 90 metros sem a atenção do condutor.

Muito mais conforto ao dirigir

Implementado nos caças no início dos anos 80, o sistema HUD ou head-up display (visor para cabeça erguida em uma tradução livre) melhorou o desempenho e a precisão dos pilotos. Agora, a mesma preocupação se aplica aos motoristas, o display é capaz de reduzir o tempo de reação dos pilotos para 0,5 segundos, segundo os mesmos estudos. Se no exato instante em que o condutor desvia sua atenção surgir algum obstáculo à sua frente, ele terá mais tempo para frear ou desviar.
Instrumento moderno?
Já em 1988, o Oldsmobile Cutlass Supreme foi o primeiro veículo a adotar um sistema de head-up display. Além de outros acessórios luxuosos e de dimensões elegantes, seu motor avantajado e cintos de segurança de quatro pontas comprovam sua almejada posição entre as 500 milhas de Indianápolis. Para ele, o HUD foi de grande importância, pois colaborou para manter a atenção do piloto grudada na estrada.

Chevrolet Corvette, o esportivo foi o primeiro a contar com HUD colorido (imagem de divulgação)

As diferentes cores em um HUD apareceram em 2001 no Chevrolet Corvette. Pode parecer de pouca utilidade à primeira vista, mas ilustrar a rotação do motor em padrões coloridos é de grande utilidade diante de seus mais de 500 cavalos de potência (do modelo Z06 atual).

Até então, a preocupação maior do head-up display era a de ajudar a domar carros que se comportam como verdadeiros jatos, sua função se resumia a uma nova disposição dos instrumentos mais importantes. Integrando novas tecnologias e sensores ao display, não demorou às montadoras investir em suas possibilidades.
A evolução do aparelho
As montadoras perceberam que todos os instrumentos de segurança em um veículo têm sua importância, desde que no momento apropriado. Ao invés de cobrir todo o para-brisa do veículo com várias funções de uma só vez, a solução adotada pela nova BMW 750i (disponível no mercado nacional) foi a de integrar os recursos de maneira inteligente.

Imagine que, além de mostrar a velocidade em que seu veículo viaja, o HUD da BMW alerta o motorista quando este excede o limite da via. Seu programa dispensa configurações manuais, ele trata de fazer a leitura das placas de sinalização através de sensores e reconhecer automaticamente a velocidade máxima.

Entre aviso de passageiros que não estiverem usando o cinto de segurança, abertura de portas e auxílio para a centralização na pista, o head-up display do 750i alerta o motorista quanto a aproximações perigosas e recomenda a frenagem. Já com a navegação do GPS ativa, o motorista será informado de quantos metros faltam até a próxima guinada e para qual direção.

Se nem todo mundo se sente confortável com números e letras surgindo no vidro do seu carro, a solução adotada pelo Peugeot 3008 Crossover foi a de implementar uma tela menor para o HUD, exatamente como nos aviões à jato. Além das diversas funções, o motorista personaliza a disposição dos instrumentos e mesmo se pretende retirá-lo do seu campo de visão.
Como adquirir um destes?
Uma solução segura e elegante para a instrumentação dos automóveis, o head-up display despertou a atenção de muitos motoristas, mas basta fazer uma breve cotação dos modelos citados para saber que eles estão longe de tornar populares. Existiria alguma alternativa para a implementação do display em carros nacionais?

Sites gringos já estão comercializando um kit HUD com tela transparente, central e sensores que se conectam a central de injeção. Ele possui odômetro, velocímetro, voltagem, temperatura e controle da velocidade em suas opções. Compatível com quase todos os modelos das mais diversas montadoras, nos EUA o kit sai por apenas U$ 150,00.

Kit HUD, imagens de divulgação da Dalgas

Empresas de acessórios como a Dalgas declarou seu interesse no mercado nacional, o preço ainda não foi divulgado, mas em breve o kit estará à venda pela internet e em lojas especializadas. O Departamento Nacional de Trânsito ainda não declarou sua posição diante do acessório, mas por se tratar de um equipamento de segurança, não devem surgir empecilhos.

Tão importante que deveria se tornar obrigatório ou mais um equipamento para poluir ainda mais o campo de visão do motorista? Estaria disposto a testar o kit em seu carro ou prefere contar com os recursos dos modelos com HUD de fábrica? Não deixe de contribuir com a sua opinião.