(Fonte da imagem: iStock)

Embora o PNBL (Plano Nacional de Banda Larga) conte, no momento, com pouco mais de oito meses de existência, o governo parece ter chegado à conclusão de que não, os dados acertados para velocidade e limite de download não são exatamente adequados. É claro: isso não deveria ocorrer com uma das principais bandeiras do atual governo.

Em entrevista ao site G1, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que o governo estuda atualmente uma revisão do plano com as operadoras de telefonia — que vendem as assinaturas da banda larga popular. “Nós vamos ter que negociar [com as empresas] para aumentar esses limites [de download]”, disse o ministro ao referido site. Ele continua: “Já conversei com a Anatel. Nós vamos começar a preparar um conjunto de ações adicionais ao PNBL para aumentar a velocidade mínima da internet”.

Pelo acordo firmado entre o governo e as operadoras no ano passado, uma mensalidade de R$ 35 — ou R$ 29, em estados em que há desoneração do ICMS — garante a velocidade de 1 megabit por segundo (Mbps), além de um limite de download de 300 megabytes (MB), o que cai para 150 megabytes para a internet móvel.

Para efeitos de comparação, trata-se de aproximadamente 100 arquivos de áudio ou de 300 imagens em resolução alta — além do que, convenhamos, com a velocidade de 1 MB não se faz muito diante da atual arquitetura da internet. Resta agora saber se o upgrade será mesmo substancial... Ou se a bandeira precisará encontrar outro pedestal mais apropriado.

Fonte: G1

Cupons de desconto TecMundo: