Twitter vai banir propagandas eleitorais nos feeds de novidades

1 min de leitura
Imagem de: Twitter vai banir propagandas eleitorais nos feeds de novidades
Avatar do autor

Em meio a tanta polêmica sobre a interferência de redes sociais e suas responsáveis em resultados nas urnas, o Twitter retira sua ferramenta de propagandas para políticos.

O CEO da rede social, Jack Dorsey, revelou a nova postura da companhia sobre campanhas políticas. “Nós decidimos parar todas as propagandas políticas no Twitter mundialmente. Nós acreditamos que o alcance dessas mensagens deve ser conquistado, não comprado.”, afirmou num tweet na última quarta-feira.

Em uma série de tweets, Dorsey detalhou quais serão as novas proibições e disse que entrarão em vigor no dia 22 de novembro. Apesar de não permitir publicações políticas, o Twitter ainda permitirá a presença de campanhas a favor do voto e do encorajamento de eleitores.

Com os pronunciamentos, as ações do Twitter caíram 3,5% nas horas seguintes. Isso provavelmente deve refletir a rejeição de investidores à postura do CEO, considerando que o Facebook optou por não interferir neste aspecto e prefere não vetar propagandas eleitorais.

(Fonte: Pixabay)

Contrastando com as falas de Mark Zuckerberg, o CEO do Twitter completa: “Isso não é sobre liberdade de expressão. Isso é pagar para ter mais alcance. Pagar para ter mais alcance de um discurso político tem milhares de ramificações e as estruturas democráticas atuais não estão preparadas para lidar com isso.”.

Essa postura mais aberta e transparente não teve início no último pronunciamento. O Twitter também optou por barrar quaisquer veículo de notícias controlado por governos, decisão tomada logo após os primeiros impactos das manifestações de Hong-Kong na China.

Cupons de desconto TecMundo:

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Twitter vai banir propagandas eleitorais nos feeds de novidades