Se você consegue acessar normalmente sites de pornografia em seu computador, agradeça por ter uma internet livre. Na Inglaterra, por exemplo, esse privilégio pode acabar em breve. Internautas que quiserem visitar as páginas dos maiores servidores com conteúdo adulto podem ter que habilitar essa opção individualmente, como em um registro.

A proposta, que pode ser discutida pelo primeiro-ministro David Cameron ainda nesta semana, é uma iniciativa da instituição cristã de caridade Mothers’ Union. Caso a ideia seja aprovada, o cidadão britânico que quiser acessar sites pornográficos dos serviços da BT, Sky, TalkTalk ou Virgin (alguns dos maiores do ramo) terá que fazer um opt in, jargão do marketing que significa “expressão de opinião ou vontade na internet” – como se alguém falasse "Eu quero acessar sites de sacanagem, por favor". Se o usuário não manifestar o desejo de visitar tais endereços, eles permanecem bloqueados no PC.

Segundo o The Guardian, a proposta tem dois objetivos: proteger a criança de conteúdos de cunho sexual na internet e, principalmente, realizar um controle parental mais reforçado. Um site, de nome Parentport, ainda seria criado para servir como um canal de reclamação pelo qual os pais acusariam programas de TV, sites e comerciais de usarem imagens impróprias.

O discurso de Cameron deve contar ainda com novas medidas com relação a propagandas, como a restrição do uso de certas imagens em outdoors e campanhas de marketing agressivas.

Cupons de desconto TecMundo: