YouTube vai banir canais extremistas, mas não homofóbicos e racistas

1 min de leitura
Imagem de: YouTube vai banir canais extremistas, mas não homofóbicos e racistas
Fonte: pixabay
Avatar do autor

O YouTube está mudando suas diretrizes para proibir vídeos que disseminem a discriminação contra pessoas com base em características como idade, identidade de gênero, sexo, raça, grupo social e religião. As mudanças foram anunciadas hoje (05) e devem causar a exclusão de milhares de canais que promovem supremacia de alguma ordem.

Em um post que anuncia as alterações, o YouTube enfatiza que estas fazem parte de sua responsabilidade: "A abertura da plataforma do YouTube ajudou a criatividade e o acesso à informação a prosperarem. É nossa responsabilidade proteger isso e impedir que nossa plataforma seja usada para incitar o ódio, o assédio, a discriminação e a violência".

Moderação de conteúdo

O YouTube monitorará e executará suas novas diretrizes de três formas. A primeira consiste em proibir conteúdos que defendam e exponham supremacistas, como vídeos com ideologia nazista e outras atividades extremistas. Vídeos que incentivam a segregação de castas também serão banidos.

A segunda diz respeito à diminuição de recomendações para vídeos que promovam a desinformação, como curas milagrosas. A medida vem sendo executada de modo mais tímido desde janeiro e já ajudou a diminuir em 50% as visualizações de materiais com esse tipo de conteúdo.

Por fim, o YouTube restringirá a geração de receitas de canais que firam a política da empresa e que disseminem discursos de ódio.

Controvérsia

Na contramão do que anunciou, o YouTube está envolvido em uma polêmica com o jornalista e apresentador Carlos Maza, que diz estar sendo alvo de ataques de um youtuber de extrema-direita por conta de sua etnia e orientação sexual. Quando apresentou as denúncias, Maza obteve como resposta do site que os materiais foram analisados e a empresa não encontrou "linguagem claramente ofensiva" e que "os vídeos postados não violam nossas políticas."

A nova política entra em vigor hoje (05) e o YouTube afirma que aumentará as fiscalizações nos próximos dias, de acordo com o The Verge.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
YouTube vai banir canais extremistas, mas não homofóbicos e racistas