A prisão do criador do WikiLeaks Julian Assange trouxe à tona um índice com vários documentos sigilosos sob posse do grupo e entre eles estão duas fotos de supostos testes de HIV de Steve Jobs, o criador da Apple morto em 2011. As imagens, porém, são falsas e já haviam sido desmentidas em uma espécie de “verificação de fatos” feita pelo próprio grupo ainda em 2009, quando o material foi originalmente divulgado.

No dia da morte de Jobs, o WikiLeaks publicou no Twitter um link para um texto no qual detalhava a investigação das imagens e a seguinte mensagem: "Supostos registros médicos de Steve Jobs".

No link, o grupo citava que “as duas fotos foram espalhadas por email e apareceram em várias publicações de internet, inclusive na CNN, que anteriormente publicou um relatório de óbito falso do senhor Jobs". O texto indicava, ainda, que "o preço das ações da Apple dependem, em parte, da saúde do senhor Jobs" e que "especuladores são motivados a introduzir informações críticas sobre a saúde" do executivo, ou seja, uma possível razão para a circulação das notícias falsas.

Após avaliar as minúcias contraditórias das fotografias, como informações desalinhadas na formatação da página e até mesmo mal escritas e o fato de o laboratório SxCheck ter sido fundado apenas em 2006, portanto dois anos após a suposta realização dos exames, a publicação conclui que o material é falso.

“Devido a datas contraditórias, possível evidência de falsificação, fortes motivações para ser algo inventado e poucas motivações para ser uma revelação legítima, as imagens não devem ser encaradas como reais”, conclui o grupo liderado por Julian Assange.

Os documentos

Uma das imagens  que voltaram a ganhar a web mostra um teste realizado no laboratório SXCheck em 1º de setembro de 2004 em nome de Steven Paul Jobs, nome completo do executivo falecido há mais de oito anos — e aí está o primeiro “equívoco”, pois o laboratório só seria criado em 2006.

A data de nascimento indicada no papel é a mesma de Jobs e os números de documentos incluídos no papel seguem uma estrutura plausível, apesar de ser impossível saber se eles são reais.

Steve JobsTeste de HIV falso de Steve Jobs voltou a ganhar destaque após prisão de Assange. (Fonte: WikiLeaks/Reprodução)

A outra imagem mostra um documento do California Pacific Medical Center e tem uma assinatura de um suposto Steve Jobs autorizando a liberação de seus registros médicos. Assim como a primeira foto, esta também não traz qualquer ar de legitimidade.

Steve JobsOutro documento que voltou a circular na web e também é falso. (Fonte: WikiLeaks/Reprodução)

A confusão

Ao que tudo indica, as imagens foram inicialmente publicadas pelo WikiLeaks em um documento de verificação, mas muita gente apenas as retirou de contexto para divulgar que Jobs teria falecido em decorrência de ser soropositivo e de que a fonte para essa informação seria um vazamento do grupo de Assange.

A falta de maiores esclarecimentos nas redes sociais por parte do WikiLeaks, especialmente porque um material de 2009 que havia sido desmentido pelo próprio gurpo foi resgatado no dia da morte de Jobs, acabou por deixá-los com a marca de "divulgador" do fato mentiroso.