O YouTube vem fechando o cerco contra a distribuição ilegal de material protegido por direitos autorais ao longo dos anos, mas ainda não alcançou a excelência nesse sentido. Talvez por isso a plataforma de vídeos da Google começou a oferecer filmes gratuitos para o público com uma contrapartida: essas publicações são sustentadas por anúncios que os espectadores assistem ao longo da obra.

A lógica é parecida com a da televisão aberta, mas não é tão comum na web — há alguns serviços que replicam a ideia, mas não têm o mesmo sucesso de iniciativas como Netflix e Amazon Prime, na qual se paga uma mensalidade para ver filmes e séries completos e sem anúncios.

“Vimos essa oportunidade com base na demanda do usuário, para além de oferecer somente filmes pagos. Nós podemos oferecer filmes bancados por anúncios e gratuitos para o usuário?” comenta o diretor de gerenciamento de produto do YouTube Rohit Dhawan ao AdAge. “Essa também é uma oportunidade para os anunciantes”, complementa.

Terminator"O Exterminador do Futuro" é um dos filmes oferecidos gratuitamente no YouTube. (Fonte: Orion Pictures)

A iniciativa começou em outubro e, atualmente, já são quase 100 títulos disponíveis nesses moldes dentro do YouTube Filmes, onde a empresa apenas vendia e alugava obras — entre eles estão nomes como “Legalmente Loira”, "Rocky – Um Lutador" e “O Exterminador do Futuro”.

Vale lembrar, porém, que a iniciativa não está disponível por aqui, e a razão disso não tem muito a ver com a Google em si: como os estúdios que produzem os filmes têm diferentes acordos para distribuição de suas obras em diversas países, muitos contratos limitam a distribuição global de alguns materiais.

Assim, a expansão dessa iniciativa do YouTube ficará é outra possibilidade que ficará a critério dos detentores de direitos autorais e de distribuição das películas. Não há como negar, porém, que bons acordos aqui poderão resultar em um concorrente de peso para os principais serviços de streaming do mundo na atualidade.