A Avaaz, plataforma utilizada por mobilização de pessoas em prol de diferentes temas, diz estar preocupada com a disseminação das campanhas de desinformação — que tem se alastrado em redes sociais e mensageiros, em especial o WhatsApp. E, a poucos dias do segundo turno, lançou um desafio para “desmascarar” quem está promovendo fraude eleitoral e promete US$ 100 mil para informações que levem à condenação de Jair Bolsonaro (PSL) ou Fernando Haddad (PT).

Isso inclui “membros de suas campanhas políticas — por fraude eleitoral, disseminação ilegal de notícias falsas, violações importantes da lei brasileira de financiamento de campanha ou violações do código e leis eleitorais”. O prêmio será pago para as três primeiras pessoas que tiverem dados novos que possam servir como provas.

Se você tiver evidências confiáveis, pode enviar para o site www.EleiçõesLeaks.org, inclusive de forma anônima — e na própria página do Avaaz há um tutorial de como preservar sua identidade por meio do navegador Tor. O conteúdo será avaliado por uma equipe formada por jornalistas investigativos, especialistas em redes sociais, cientistas de dados, pesquisadores e advogados da área do direito eleitoral.

Essa campanha foi lançada no Twitter na quinta-feira passada (18) e terá duração de seis meses, com término previsto para o dia 28 de abril de 2019. Esse prazo se deve à possibilidade de surgirem novas denúncias após o período eleitoral.