Com o segundo turno das Eleições 2018 a movimentação em torno dos links postados em mensageiros e redes sociais vêm aumentando substancialmente, assim como as fake news e campanhas de desinformação. O WhatsApp notificou extrajudicialmente as agências Quickmobile, Yacows, Croc Services e SMS Market, determinando que parem de realizar disparos em massa para números obtidos na web.

Doação de campanha não declarada é proibida pela legislação eleitoral

Segundo reportagem publicada pela Folha de S. Paulo na quinta-feira (18), esses empresários vinham comprando pacotes de envios em massa de textos contra o PT e se preparando para uma grande investida nas proximidades do novo pleito, marcado para o dia 28 de outubro. A prática é ilegal porque se enquadra como doação de campanha não declarada, o que é vedado pela legislação eleitoral.

Além disso, esse comportamento fere as regras da plataforma. O envio massivo de material eleitoral até é permitido, desde que os remetentes utilizem listas com nomes e números de telefones de pessoas que os cederam voluntariamente. Porém, várias agências venderam bases de informações de terceiros, segmentadas por região e perfil, de origem desconhecida.

O WhatsApp afirmou que usa tecnologia de ponta para detectar contas que tentam espalhar spam. “Estamos tomando medidas legais para impedir que empresas façam envio maciço de mensagens no WhatsApp e já banimos as contas associadas a estas empresas”, comunicou em nota a companhia.

Cupons de desconto TecMundo: