Não é surpresa que a internet vem ganhando cada vez mais espaço também como fonte de entretenimento audiovisual e uma pesquisa encomendada pela Google traz números para o debate. O estudo, realizado pela Provokers, indica que o consumo de vídeos online no Brasil cresceu 135% entre 2014 e 2018, com o tempo médio aumentando quase cinco vezes mais do que o crescimento do tempo dedicado à TV no mesmo período.

Se em 2014 os brasileiros gastavam em média 8,1 horas semanais vendo vídeos na internet, agora, em 2018, gastam 19 horas todas as semanas realizando a mesma atividade — o salto de 135%. Já o tempo vendo TV foi de 21,9 horas para 24,8 horas nos últimos quatro anos, um crescimento de 13%.

A principal razão para ver vídeos na internet é a inexistência dos mesmos conteúdos na TV — isso foi citado por 80% dos entrevistados. Outros 47% afirmaram buscar na web programas que eles não conseguiram ver na televisão, enquanto 27% buscam se aprofundar em temas vistos nos programas de TV.

O YouTube é a plataforma preferida de 44% dos entrevistados e metade deles afirmou que encontra tudo o que quer ver online no serviço da Google — música, educação e humor são os tópicos mais populares nas buscas. Apesar de o uso de smart TVs ter dobrado no último ano, 75% dos participantes da pesquisa garantiram usar o smartphone como principal dispositivo para assistir a vídeos online.

Pesquisa

A pesquisa foi realizada em duas etapas: a primeira, qualitativa online, foi realizada entre fevereiro e março de 2018 e consultou 200 pessoas entre 14 e 55 anos das classes A, B e C que veem vídeos online e moram nas cidades de Recife, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo; a segunda etapa, quantitativa online e offline, foi realizada com 3 mil entrevistados da mesma faixa etária e das mesmas classes sociais das regiões Sul, Sudeste e Nordeste.