De acordo com dados declarados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por candidatos aos diversos cargos em disputa nas Eleições 2018, plataformas sociais como Facebook e Instagram já faturaram R$ 2 milhões na primeira quinzena da campanha, entre 16 e 30 de agosto.

Ambas as redes sociais do grupo de Mark Zuckerberg anunciaram neste ano algumas mudanças para atender às exigências do TSE quanto à propaganda política na internet. Todos os anúncios devem ser identificados como referentes às eleições, e os internautas devem ter acesso a um relatório mostrando quem pagou pela propaganda, seu impacto e quanto exatamente isso custou.

Governadores

Curiosamente, quem mais gastou com propaganda eleitoral nas redes sociais foram os candidatos a governador dos estados brasileiros. No total, eles pagaram R$ 650 mil para essas plataformas impulsionarem suas postagens patrocinadas aos eleitores. Os presidenciáveis, por sua vez, gastaram apenas R$ 50 mil.

Contudo, segundo o TSE, o candidato que mais gastou com propaganda em plataformas sociais foi Julio Luiz Baptista Lopes (PP-RJ), que disputa uma vaga no Congresso Nacional como deputado federal. Sua campanha dispendeu nesses primeiros 15 dias R$ 188.166,15 por meio da agência Iddeias Consulting.

Vale ressaltar que, para participar das campanhas eleitorais, redes sociais na internet precisam seguir as regras do TSE que, além tornar públicos os gastos de candidatos, precisam também oferecer direito de resposta em caso de difamação e divulgação de informações incorretas.