O holandês Paul Davids faz vídeos tocando guitarra e ensinando técnicas para quem quer se aperfeiçoar no instrumento, pelo YouTube. Em vídeo destinado a seus 625 mil inscritos, contou que é comum que produtores de conteúdo, principalmente os que ensinam música como ele, recebam emails informando que algum de seus vídeos está violando os direitos de determinado autor. A novidade é que, dessa vez, o YouTube o acusou de plágio por uma canção feita por ele mesmo.

Para sua surpresa, alguém havia usado o conteúdo de um de seus vídeos, publicado 2 anos atrás, como base da sua própria melodia para publicar no YouTube. Por algum motivo misterioso, foi o autor original quem recebeu a notificação de plágio. E um detalhe: o dinheiro que ele ganharia com aquele vídeo, por meio de anúncios publicitários e outros recursos, passaria a ser destinado à pessoa que fez a cópia.

Paul Davids encontrou o responsável pelo plágio via Facebook Messenger. A pessoa admitiu ter usado conteúdo de outros autores para criar seu material, que leva a adição de vocal e guitarras. Após conseguir, em questão de horas, esclarecer junto à plataforma que aquela era de fato sua composição, Paul Davids decidiu deixar o outro músico utilizá-la, entendendo que o prejuízo não seria substancial.

Não é a primeira vez que casos assim aparecem, e o motivo por trás está em falhas em um sistema chamando Content ID, do YouTube, que escaneia os vídeos para detectar automaticamente se existem trechos de canções de outros autores, naquele conteúdo. Se houver, o proprietário da canção recebe uma notificação e tem o poder de decidir se o novo vídeo poderá ser publicado e, caso seja, obter a monetização para si mesmo.