Em um artigo publicado hoje (12) no periódico norte-americano The Guardian, um dos criadores da internet resolveu comemorar o 29º aniversário da rede mundial de computadores. Tim Berners-Lee, contudo, se mostra mais preocupado com o futuro da internet do que com aquilo que a maior plataforma de comunicação do mundo conseguiu alcançar em seus primeiros 29 anos. Berners-Lee acredita que, em seu estado atual, a web pode ser utilizada como uma arma.

Vimos teorias de conspiração alcançarem milhões de pessoas nas redes sociais, perfis falsos no Facebook e no Twitter alimentarem tensões sociais, atores externos interferirem em eleições e criminosos roubarem grandes quantidades de dados pessoais

Ele explica: “o fato de o poder sobre a internet estar concentrado nas mãos de algumas poucas empresas tornou possível a utilização da web como uma arma em grande escala. Nos últimos anos, vimos teorias de conspiração alcançarem milhões de pessoas nas redes sociais, perfis falsos no Facebook e no Twitter alimentarem tensões sociais, atores externos interferirem em eleições e criminosos roubarem grandes quantidades de dados pessoais”.

Em outras palavras, Berners-Lee não culpa exatamente as grandes empresas que controlam a internet pelo fato de a web poder ser utilizada como uma arma, mas sim o fato de elas terem tanto poder sobre a rede. Dessa forma, pessoas mal intencionadas podem “disseminar o mal” com muita eficiência sem o esforço de comprometer várias comunidades ou vários serviços.

O criador da web ainda reconhece que essas empresas estão cientes dos problemas que seu tamanho está causando na internet e que elas estão de fato tomando atitudes para reverter essa situação. Ainda assim, como se trata de empresas capitalistas, o maior objetivo delas não é o bem estar social, mas sim o lucro.

“A responsabilidade — e às vezes o fardo — de tomar atitudes e decisões sobre esses problemas recai sobre companhias que foram construídas para maximizar mais o lucro do que o bem estar social. Uma regulamentação legal que ressalte objetivos sociais poderia ajudar a aliviar essas tensões”, escreveu Berners-Lee.

Próximo bilhão de usuários

O inventor ainda se mostra preocupado com a “qualidade da internet” para os futuros internautas, aqueles que devem começar a utilizar a rede nos próximos anos. Ele explica que, em 2018, pela primeira vez na história, metade da população humana deve ter acesso regular à internet em todo o mundo. Ainda assim, ele acredita ser necessário criar programas para acelerar o passo da inclusão digital.

Em 2018, pela primeira vez na história, metade da população humana deve ter acesso regular à internet em todo o mundo

Isso porque o ultimo bilhão de pessoas a se conectarem à web só deve chegar à rede em 2042, o que é tempo o suficiente para excluir da internet mais uma geração inteira de pessoas. Isso deve acontecer porque em muitos países pobres, uma franquia de 1 GB de internet ainda custa mais de 20% da média salarial da região. Berners-Lee acredita que políticas públicas precisam ser implementadas para fazer isso custar apenas 2% da média salarial, a fim de tornar a internet realmente acessível.

“Hoje, eu quero desafiar a todos nós a termos maiores ambições para a internet. Eu quero que a web reflita nossas esperanças e ajude a realizar nossos sonhos, em vez de incrementar nossos medos e dividir ainda mais a sociedade”, finalizou.

Você pode ler o artigo completo de Berners-Lee em inglês aqui.

Cupons de desconto TecMundo: