Grande promessa da internet mobile, o 5G pode não demorar muito para engatar e ter uma adoção em escala global. Pelo menos é isso o que diz o mais recente Relatório de Mobilidade da Ericsson. De acordo com o documento, a tecnologia chegará à marca de 1 bilhão de usuários em tempo recorde: até 2023.

Como bem nota o portal Convergência Digital, isso indica que mais de 20% da população da Terra estará equipada com a conexão de alta velocidade apenas três anos após o seu lançamento. Trata-se de uma previsão otimista, uma vez que, embora já haja alguns testes do 5G ao redor do mundo e isso deva se ampliar ao longo dos próximos anos, só em 2020 o recurso será oferecido em massa para a população.

Se o estudo estiver correto, isso significa que o tráfego global de dados através de dispositivos móveis pode passar facilmente dos 100 Exabytes mensais – ou algo como 107 bilhões de Gigabytes transferidos todos os meses. O que faria o consumo aumentar tanto assim daqui para lá? Muito, mas muito conteúdo em vídeo. O formato tem sido adotado de forma acelerada pelos consumidores e ocupa cada vez mais banda graças a resoluções mais altas, recursos 360 graus e realidade virtual.

Vale notar que nada disso significar o fim do 4G LTE, que deve seguir o rei do pedaço quando se fala de conexões mobile. A expectativa é que, quando o 5G chegar ao seu primeiro bilhão de assinantes, o 4G atinja seus 5,5 bilhões de usuários. Nada mal, hein? Infelizmente, se depender de análises recentes, os brasileiros devem contribuir bastante para esses números gigantescos do 4G. Isso porque a tendência é que o 5G só se popularize por aqui em meados de 2030.