É inegável que o mercado de streaming de vídeo anda arrebatando usuários de todo o mundo, com muitos deles assinando mais de um serviço para poder aproveitar itens exclusivos dos catálogos de Netflix, Amazon, Hulu e companhia. Um estudo da Irdeto, no entanto, mostra que outra parte do mercado vem acompanhando esse crescimento: o das transmissões piratas.

De acordo com a empresa de segurança, parece que a adoção das plataformas legais não tem tido um efeito direto no acesso aos sites não oficiais da categoria. Afinal, só entre 2016 e 2017, o número de visitas a essas páginas com conteúdo ilegal teve um aumento de nada menos que 71,4% – um volume respeitável mesmo em comparação com serviços mais prósperos da área.

Os culpados de tudo? Ao que parece, as redes sociais e os programas esportivos. Segundo a Irdeto, o acesso aos canais piratas dedicados ao tema esporte saltou de cerca de 143 milhões para generosos 245 milhões de um ano para o outro. Embora os jogos de futebol dominem o espaço na maior parte do tempo, foi a luta de boxe entre Floyd Mayweather Jr. e Conor McGregor que bateu recordes, como o maior número de transmissões simultâneas (239) e também o de expectadores ilegais (mais de 2,9 milhões).

E quanto ao papo das redes sociais? Bem, essas andam sendo as principais plataformas escolhidas para a veiculação desse conteúdo pirata, seja através de links para outras páginas ou em transmissões ao vivo nas próprias redes. Os campeões nesse tipo de compartilhamento são Reddit (34,8%), Twitter (33,2%) e Facebook (27,9%). E você, largou a pirataria em favor dos serviços de streaming convencionais ou acaba dando uma escapulida de vez em quando?

Cupons de desconto TecMundo: