Um dia antes da Black Friday, um anúncio falso estava aparecendo em primeiro lugar nos resultados de buscas do Google pela palavra “amazon”. Inicialmente, o anúncio não dava nenhum sinal suspeito, mas, ao clicar no link, o usuário era redirecionado rapidamente para um web app hospedado no Facebook e, em seguida, levado à página do golpe de fato.

amazon google

Nessa página, o usuário via uma mensagem afirmando que seu computador havia sido comprometido por “spyware/riskware malicioso”. Havia ainda uma descrição dos possíveis problemas que poderiam ocorrer no dispositivo infectado.

Esse site do golpe fingia ser uma página oficial da Microsoft e pedia para as vítimas ligarem para um telefone a fim de corrigir a falha. Contudo, o endereço web indicava claramente que a página não era da criadora do Windows, colocando dúvida da legitimidade do suposto suporte ao sistema operacional.

suporte falso microsoft

Um atendente informou que poderia resolver a questão do 'spyware/riskware malicioso' por US$ 149,99

A reportagem da CBS entrou em contato com o telefone indicado no anúncio duas vezes antes dele ter sido retirado do ar pela Google. Na primeira vez, o homem que atendeu a ligação pediu o código do erro. Quando o repórter perguntou se aquilo se tratava de uma fraude, o atendente ficou nervoso e desligou. Na segunda tentativa, um outro atendente informou que poderia resolver a questão do “spyware/riskware malicioso” por US$ 149,99, o equivalente a R$ 484 na cotação de hoje (24).

A Google removeu o anúncio na noite de ontem (23) e informou à CBS que o fez pelo fato de o anúncio violar suas políticas de uso. O Facebook, que estava servindo de redirecionador de links e também de barreira para enganar o sistema automatizado antifraude da Google, não comentou o assunto.

Não se sabe quantas pessoas podem ter sido vitimadas pelo golpe, e a Google não informou por quanto tempo o anúncio falso ficou no ar no dia anterior à Black Friday.

Cupons de desconto TecMundo: