Um simples vídeo caseiro no qual duas crianças aparecem realizando alguns exercícios físicos tem sido alvo de inúmeros comentários sexuais no YouTube. As imagens não mostram nada demais, mas o vídeo já conta mais de 140 mil visualizações e muitas reações totalmente inapropriadas vindas de parte da audiência.

Comentários como “lindas” ou até mesmo pedindo likes de outras pessoas que também “ficaram excitadas” vendo as duas meninas dão o tom do que é possível encontrar na postagem. Alguém chegou a divulgar um número de telefone prometendo mais vídeos de crianças, sugerindo um problema ainda maior do que o transparecido pela reação de alguns espectadores.

Entre os comentários, alguém informou que o vídeo foi compartilhado em um site de pornografia infantil, uma possível justificativa para o interesse bizarro de um monte de adultos em um simples vídeo com crianças. Há ainda reações óbvias de usuários do YouTube questionando a razão pela qual  os comentários inapropriados não foram removidos.

YouTube volta a ser alvo de críticas após deixar vídeos inapropriados "escaparem" para a sua plataforma dedicada às crianças

Toda essa movimentação suscita novas críticas ao YouTube sobre como a plataforma lida com o conteúdo disponível para crianças. Depois de vídeos adultos aparecerem no YouTube Kids, novamente a plataforma é alvo de críticas por uma suposta leniência com os comentários inapropriados em vídeos em que crianças aparecem.

Vídeos, muitas vezes postados pelas próprias crianças, são alvos de comentários sexuais, reforçando a ideia de que o YouTube não aplica as suas próprias regras. As diretrizes de uso da plataforma demandam que os usuários tenham pelo menos 18 anos de idade ou sejam acompanhados dos pais caso tenham pelo menos 13 anos.

Apelo ao bom senso

A posição oficial do YouTube sobre esse tipo de caso é de que é difícil enquadrar tais situações como abuso. Após receber uma lista de vídeos com comentários perturbadores do site The Verge, o site da Google removeu os vídeos e notificou o perfil pela sua postagem para que um cuidado maior fosse tomado em relação a postagens envolvendo menores de idade. A questão, então, envolve o bom senso de quem posta as imagens para não acabar expondo crianças ao contato com esse tipo de reação.

O YouTube conta com uma comunidade de “sinalizadores confiáveis”, as pessoas que tem um poder especial de moderação para denunciar vídeos e comentários, para tentar coibir esse tipo de ação. Além disso, a empresa trabalha também com a avaliação automatizada de vídeos para evitar, por exemplo, que pornografia infantil seja compartilhada na rede. Contudo, é um desafio a mais supor que postagens sem teor erótico evidente sejam utilizadas como ponto de encontro para pedófilos.

Por isso, fica novamente o alerta sobre não apenas a que tipo de conteúdo as crianças têm acesso quando utilizam a internet, seja para ver ou para produzir vídeos, mas também sobre o tamanho da exposição gerada por pais e responsáveis graças a fotos e vídeos postadas publicamente na web.