(Fonte da imagem: Divulgação SPACE.com)

São muitos os mistérios que rondam o nosso sistema solar, mas o mais intrigantes deles certamente é o que está mais próximo de nós: o lado “escuro” da lua. Novas pesquisas feitas com simulações na Universidade de Bern, na Suíça, apontam que o motivo das irregularidades entre os dois lados do nosso satélite natural é o resultado de uma colisão com uma lua menor.

O lado da lua que está sempre voltado para a terra, chamado de lado "claro", possui muitas diferenças se comparado com porção que não podemos ver, o lado “escuro”. A superfície do lado próximo de nós é pouco irregular, formado de grandes planícies e crateras. Já o outro lado é montanhoso, com muitos picos e poucas áreas planas.

Simulações em computadores apontam que, em um passado em que a vida começava a surgir no planeta terra, uma segunda lua poderia ter existido e compartilhado a órbita da sua irmã maior. Esse outro satélite tinha cerca de um terço do tamanho da lua atual e acabou se chocando no que chamamos de lado "negro", criando os cânions lunares que existem hoje.

A descoberta dos astrônomos Asphaug e seu colega Martin Jutzi foi publicada no exemplar de agosto do jornal suíço “Nature”. Ainda não há notícias sobre uma possível reunião com a comunidade científica mundial para discutir a aceitação da teoria.

Cupons de desconto TecMundo: