Até 2021, todo mundo sabe que estaremos trocando muito mais informações. Sete vezes além do que atualmente, segundo relatório da empresa de tecnologia Cisco Visual Networking Index. A alta deve acontecer por causa do alto crescimento do número de smartphones, usuários móveis, tráfego de vídeo, conexão mais rápida em 4G e 5G, uso das realidades aumentada (Augmented Reality — AR) e virtual (Virtual Reality — VR) e da Internet das Coisas (Internet of Things — IoT).

Brasil deve ter 10 milhões de celulares a mais nos próximos quatro anos

Segundo o estudo, a população global terá mais telefones celulares (5,5 bilhões) do que contas bancárias (5,4 bilhões), água canalizada (5,3 bilhões) e telefones fixos (2,9 bilhões). Nos próximos quatro anos, o transporte de dados móveis deve representar 20% do tráfego IP total — atualmente fica em 8%. O levantamento também contabiliza quase 12 bilhões de dispositivos móveis conectados, o que significa 50% a mais do que em 2016.

Vídeos, gadgets e outras mídias

O uso intenso de dados deve aumentar a velocidade de conexão das redes móveis da média de 6,8 Mbps, registrada no ano passado, para 20,4 Mbps em 2021. Até lá, o conteúdo audiovisual promete ter um destaque ainda maior, com alta de 78% em todo o mundo e 47% no Brasil.

Boa parte do consumo pode estar atrelada aos headsets de AR e VR — a projeção é do salto de 18 milhões de gadgets de VR em 2016 para 100 milhões em 2021. Os dispositivos vestíveis também devem registrar crescimento global de 325 milhões para 929 milhões e no Brasil os 5 milhões de aparelhos podem subir para 15 milhões.

Cupons de desconto TecMundo: