A Microsoft acaba de anunciar uma parceria com a japonesa Fujitsu com o intuito de impulsionar a adoção do conceito de Internet of Things (IoT ou Internet das Coisas em português) no cenário industrial.

Tendo como base dispositivos equipados com Windows 8.1 Pro, seu serviço Cloud A5 para Microsoft Azure e a plataforma Fujitsu IoT/M2M, a gigante nipônica desenvolveu soluções que conectam engenheiros, coordenadores e cientistas para que eles possam trabalhar em produtos de melhor qualidade ao mesmo tempo em que reduz custos. Como case de sucesso, a marca destacou seu trabalho na cidade de Aizuwakamatsu.

Em 2013, a Fujitsu converteu parte de sua fábrica de semicondutores no Akisai Plant Factory, um complexo de 2,000 m² que combina técnicas de agricultura de última geração com poderosas tecnologias de comunicação e informação, incluindo sensores capazes de monitorar a composição química de fertilizantes. O resultado desse projeto foi a produção de alfaces com baixo teor de potássio que podem ser consumidas por vítimas de doenças renais.

Vale observar que essa não é a primeira vez que a Microsoft colabora com algum projeto do gênero: no ano passado, a companhia de Bill Gates concedeu acesso gratuito ao Azure para os pesquisadores interessados em desenvolver soluções para frear o avanço do vírus ebola. Desta vez, em parceria com a Fujitsu, a empresa parece interessada em mostrar ao mundo que o conceito de IoT é importantíssimo para facilitar os processos de manufatura.