A Universidade de Tóquio (apelidada carinhosamente de “Todai” pelos japoneses) é conhecida no Japão como a melhor e mais difícil universidade do país de se entrar, dada a dificuldade altíssima de seu teste. Logo, não deve ser visto com pouca surpresa saber que um robô foi capaz de tirar uma nota maior do que a maioria das pessoas consegue alcançar nele.

Segundo o The Wall Street Journal, a façanha foi alcançada pelo Todai Robot Project, um programa de inteligência artificial criado por pesquisadores corporativos e de universidades no Instituto Nacional de Informática especialmente para essa tarefa. O robô, de fato, já existe desde 2011, mas teve notas abaixo da média quando tentou o vestibular em 2013 e 2014.

Isso, por sua vez, mudou no teste de 2015. Apesar de ainda estar longe do topo, o TRP se saiu incrivelmente bem nas questões de matemática e história apresentadas das cinco áreas diferentes do teste. Assim, ele conseguiu 511 de 950 pontos quando a média nacional é de apenas 416.

Pode não parecer muito, mas isso já é suficiente para que ele tenha, no mínimo, 80% de chance de ser aceito em 441 universidades privadas e 33 universidades nacionais. E esse número só deve aumentar, segundo eles, que preveem uma média bastante alta para o robô já em 2016.

Imperfeito, por enquanto

Ao menos os interessados em participar do vestibular da Todai não precisam se preocupar que um robô realmente possa tomar o lugar deles tão cedo assim.

Isso porque a inteligência artificial feita pelo instituto ainda conta com uma “pequena” falha: o Todai Robot Project possui uma capacidade de processamento de linguagem extremamente limitada, o que faz com que ele seja incapaz de escrever respostas por extenso – estas que, vale notar, compõem uma enorme parte do teste.

Mesmo assim, é provável que seja apenas uma questão de tempo até que isso mude. A equipe trabalhando no robô, inclusive, prevê que ele seja capaz de ser aceito na Todai apenas em 2021; ou seja, você tem até lá para conseguir um lugar na universidade antes de ela ser tomada por autômatos.

Você acha que os robôs um dia serão mesmo tão inteligentes quanto humanos?