IA chinesa detona estudantes em tempo de prova, mas não passa no vestibular

1 min de leitura
Imagem de: IA chinesa detona estudantes em tempo de prova, mas não passa no vestibular
Imagem: Easy Health Options
Avatar do autor

Ser mais rápido não necessariamente quer dizer ser melhor. Quem exemplifica essa frase com louvor é um projeto de inteligência artificial desenvolvido pela Zhunxingyunxue Technology, uma empresa chinesa que tentou unir o big data e recursos de reconhecimento de linguagem para tentar “derrotar” os próprios estudantes do país. O resultado? Bem, o computador foi bem mais veloz que a molecada na hora de concluir uma prova, mas sua nota ficou a dever.

Quem traz esse estudo à tona é o Daily Mail britânico, que explica como a máquina, chamada AI-Maths, sofreu para tentar fazer uma pontuação próxima a dos estudantes apesar de todo o poder de fogo e tecnologia por trás de sua construção. Afinal, estamos falando de um sistema avançado, composto por 11 servidores dedicados, em desenvolvimento desde 2014 e que foi criado exatamente para mostrar como a IA se compara com o cérebro humano em determinadas atividades.

AI-Maths terá que estudar um pouco mais para superar os colegas

Ao todo, o equipamento levou apenas 22 minutos para terminar um dos testes usados para a admissão dos estudantes às universidades locais e marcou 105 de 150 possíveis pontos na tarefa. Enquanto isso, os vestibulandos chineses, que têm cerca de duas horas para cumprir a prova, tiveram uma média de 109 pontos na prova mesma prova, aplicada no ano passado. Isso não prova que a inteligência artificial é “burra” ou qualquer coisa do tipo, mas sim que ainda há forças e fraquezas no projeto.

Estudante aplicado

Lin Hui, o CEO da companhia, falou um pouco sobre esse assunto, dizendo que, enquanto seu produto consegue lidar com cálculos em uma velocidade assustadoramente alta em relação às pessoas, a mesma coisa não pode ser dita sobre sua capacidade em compreender a língua e o contexto por trás de algumas questões. A tendência, no entanto, é que esse quadro mude consideravelmente no futuro próximo.

AI-Maths

130 pontos já no ano que vem?

Segundo o executivo, a ideia é que “no ano que vem, a máquina possa aprimorar o seu desempenho em raciocínio lógico e algoritmos de computação e consiga marcar mais de 130 pontos na prova”. Acredite, essa não é uma grande ambição. Isso porque bastou um segundo teste para que a AI-Maths conseguisse atingir 100 pontos em míseros dez minutos – mostrando que o computador pode se adaptar mais rapidamente aos desafios colocados diante de si mesmo que ele tropece um pouco ao longo do caminho.

IA chinesa detona estudantes em tempo de prova, mas não passa no vestibular