Demonstrando um pouco do poder de processamento de seu diminuto módulo Curie de computação, a Intel contatou a empresa Chromat para criar um vestido conceitual pra lá de curioso, o chamado Adrenaline Dress. De forma similar ao peixe baiacu, que infla quando se sente ameaçado, a roupa criada pelas empresas tem uma estrutura que pode se expandir dependendo do estado de agitação da usuária.

O vestido conta com uma rede elaborada de painéis impressos em 3D e um esqueleto de fibra de carbono que pode se expandir para fora sem usar bombas de ar ou motores, mas sim uma liga metálica que cresce e encolhe de acordo com o calor a que é submetida. Para isso, o computador da Intel  do tamanho de um botão – analisa os níveis de adrenalina do corpo da usuária de acordo com a condutividade de sua pele.

Na CES de 2014, a Intel fez algo similar usando a sua tecnologia Edison de computação e o RealSense, criando um vestido inspirado em uma aranha. Ao perceber a presença de outra pessoa nas proximidades da usuária, o animal “saltava” para protegê-la de ataques. Você pode conferir fotos da novidade mais acima e um vídeo do modelito mais antigo logo a seguir.

O que você acha da ideia de roupas que usam computadores integrados para reagir aos seus sentimentos e ao ambiente? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: