O Windows é o sistema operacional para PCs mais utilizado no mundo e a sua versão 10 é uma das maiores novidades que temos na informática atualmente, sendo assim, nada melhor do que saber tudo sobre ele para deixar a sua máquina tinindo.

Algumas empresas estão trabalhando para fazer com que seus produtos tirem o máximo do mais novo sistema operacional da Microsoft. No mês passado falamos o que a AMD está preparando e hoje vamos mostrar as pretensões da Intel com o Windows 10.

Para isso, o TecMundo conversou com Ricardo Caruana, engenheiro de aplicações da Intel. Segundo ele, a companhia se preocupa em trabalhar não somente na eficiência de seus processadores, mas também no ecossistema ao qual ele faz parte, sistema esse em que o Windows tem grande participação. 

Não é de hoje que a parceria com a Microsoft existe. Desde os primeiros sistemas operacionais da Gigante da Informática, as empresas têm mantido bom relacionamento.

Windows 10 e processadores da quinta geração da Intel

Ricardo nos explica que o foco da Intel é na experiência do usuário com os seus produtos. Sendo assim, a empresa quer tornar a interação com os PCs com o Windows 10 muito mais recompensadora para o usuário final.

"Antes, a interação era apenas através do mouse e teclado. Atualmente, a tecnologia permite que essa troca de informações seja feita com uma tela touch ou por comandos de voz. Contudo, para se ter o máximo de proveito dessa experiência é necessário ter um tempo de resposta adequado e é isso que a nossa plataforma faz. Otimizamos todos os nossos processadores para trabalhar com as melhotes ferramentas do Windows 10", informa Caruana.

Mas se você acredita que touch screen já é coisa do passado, o que acharia de controlar o seu PC por gestos? Pois é, esse é um dos recursos que a Intel preparou para trabalhar com o sistema operacional: o RealSense.

A tecnologia permite a interação da pessoa com o computador através de gestos ou por reconhecimento facial. "O RealSense identifica quem está na frente da tela fazendo um mapeamento facial em 3D do rosto da pessoa, ou seja, com profundidade e dimensões, portanto usando uma foto seria impossível obter acesso ao computador", explica o engenheiro.

Você, gamer casual, deve estar pensando: "e eu? como posso aproveitar isso?". Bem, Caruana nos falou sobre a integração de recursos visuais da quinta geração de processadores da Intel. Segundo ele, o produto possui gráficos integrados, então para grande parte dos jogos, ou para os mais populares, o usuário não precisaria de uma placa dedicada para rodá-los.

E o mercado mobile?

Fechando com chave de ouro, devemos lembrar que o Windows 10 não existe só no PC, então vamos explorar um pouco do mercado mobile. O engenheiro nos conta que a maior diferença entre eles não é o sistema operacional em si, mas como as pessoas vão utilizá-lo.

Falando de uma forma geral, uma pessoa que está usando um smartphone ou tablet está voltada no consumo de conteúdo e não na produção. Por conta disso, a Intel trabalha na habilitação do ecossistema muito mais voltado para o consumo que na criação habilitando aplicativos compatíveis com a plataforma x86.

"Provavelmente, quem está usando um smartphone não trabalha no Excel criando conteúdo, mas ela pode, pontualmente, precisar abrir uma planilha mesmo que apenas para visualizar. Então, é importante que o aplicativo rode bem e cumpra o esperado", afirma Caruana.

Outro ponto que a companhia pensou foi na otimização do tempo de resposta dos comandos nos celulares e tablets. Afinal, quando tocamos na tela dos nossos aparelhos queremos uma resposta rápida, fluída e precisa.  

Quer saber mais sobre o que outras empresas estão fazendo com a chegada do Windows 10? Continue acompanhando o TecMundo, curta nossa página no Facebook, baixe nosso app e confira todas as novidades no seu smartphone ou tablet. 

Qual é o melhor processador atualmente? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: