Anunciado oficialmente durante a CES deste ano, o chip Curie da Intel, voltado a dispositivos vestíveis, começou a ser enviado recentemente a fabricantes de dispositivos. Para demonstrar as possibilidades oferecidas pelo novo hardware, a companhia decidiu apostar em uma apresentação pouco convencional durante seu fórum anual para desenvolvedores.

Durante o evento, a companhia chamou ao palco atletas de BMX que realizaram uma série de manobras aéreas. O equipamento utilizado por eles estava embarcado com os novos chips, responsáveis por registrar dados como o tempo passado no ar, a altura máxima atingida e o impacto e o ângulo dos pousos, entre outros detalhes.

A Intel afirma que o novo hardware também tem usos empresariais e industriais importantes. “Aparelhos vestíveis podem resolver os problemas relacionados a senhas”, afirmou o CEO da companhia, Brian Krzanich. Para provar isso, a empresa demonstrou o novo SDK Identity IQ, presente em uma pulseira de identificação que era usada para destravar um computador nas proximidades.

Segurança garantida

Para tornar o sistema mais seguro, a máquina em questão ainda exigia a inserção de uma combinação de proteção convencional caso o usuário registrado tenha retirado o acessório. Dessa forma, não basta emprestar a pulseira a outra pessoa para que ela consiga acessar dados sensíveis.

O módulo Curie disponibilizado pela Intel possui o chipset Intel Quak, um sensor de seis eixos com acelerômetro e giroscópio e conectividade Bluetooth, além de 384 kB de memória flash. A novidade pode operar tanto a partir de uma bateria alcalina removível quanto a partir de um sistema permanente com características recarregáveis.

Cupons de desconto TecMundo: