Rumores apontam para uma possível onda de demissões na Intel para reduzir custos. Esses cortes seriam o resultado das expectativas de crescimento de vendas abaixo do esperado em 2015. A empresa inicialmente considerava um aumento de 5% neste ano, mas teve que mudar a previsão para que o lucro seja o mesmo do ano anterior.

Esta não seria a primeira tentativa da companhia de enxugar o quadro de funcionários. Em maio, a Intel ofereceu incentivos para a demissão voluntária de funcionários dos setores de manufatura e de pesquisa e desenvolvimento.

A empresa já anunciou que pretende reduzir os custos com pesquisa e desenvolvimento em US$ 300 milhões, então o rumor de cortes de funcionários parece fazer sentido quando se pensa na diminuição de custos.

Mal das pernas? Nem pensar

Porém, apesar de US$ 300 milhões parecer um valor muito alto, isso não significa que a companhia está mal das pernas. Em 2014, a Intel teve uma receita de US$ 55,9 bilhões, com US$ 11,7 bilhões só de lucro.

A redução de custos representa apenas uma parcela mínima dos rendimentos da empresa (cerca de 2,6% de US$ 11,7 bilhões). Mesmo a demissão de algumas centenas de postos de trabalho não terá um impacto tão grande nas finanças da Intel.

Especulações

Isso pode indicar que não há muita esperança de que os novos lançamentos da própria Intel e de empresas parceiras façam tanta diferença nas vendas a ponto de atingir o crescimento esperado anteriormente.

O Windows 10, por exemplo, tem os requisitos mínimos bem similares aos de sistemas operacionais anteriores, como o Windows Vista. Então, com a exceção de consumidores que estão em busca especificamente de um hardware novo, não há uma necessidade urgente de mudar de dispositivo e muitos usuários  optarão por simplesmente fazer o upgrade no computador que possuem.

Porém, as demissões só acontecerão de fato nas próximas semanas e só quando isso se tornar público teremos alguma declaração oficial da Intel indicando possíveis motivos ou mudanças de posicionamento.

Cupons de desconto TecMundo: