Os drones roubaram a cena durante a apresentação da Intel na CES 2015. Esses pequenos veículos voadores não tripulados já são uma sensação na indústria, mas limitações, como a necessidade de serem controlados remotamente, fazem com que eles ainda sejam vistos como uma espécie de "brinquedo de luxo".

Aí veio a novidade da Intel. A empresa empregou o sensor de movimento RealSense em drones, fazendo com que as unidades móveis façam sozinhas um mapeamento 3D do que está ao redor — e permitindo que elas desviem sozinhas de objetos próximos ou recuem quando algo chega perto.

Em uma das demonstrações, funcionários cercaram o drone e aproximavam-se lentamente do objeto, que fugia dos humanos. Em outra, o quadricóptero venceu um pequeno labirinto e aguardou uma porta fechada ser liberada pelos controladores.

Por fim, um drone fotógrafo chamado Nixie (que também vira uma pulseira inteligente) voou da mão de seu dono, tirou uma foto do sujeito e retornou ao "mestre", como se fosse um pássaro treinado. Clique aqui para saber mais sobre esse projeto.

Em resumo, todos são grandes passos em direção à autonomia desses aparelhos — e um perigo para quem tem medo de que eles possam se voltar contra os humanos.

Cupons de desconto TecMundo: