A Light Peak consiste em um chip controlador e um modulador ótico (responsável pela conversão de eletricidade em luz) que trocam informações por meio de fibras óticas, nas quais a perda de dados é mínima. A primeira aparição desta tecnologia aconteceu na Intel Developers Forum (IDF) 2009 e foi transcrita no artigo “Fique por dentro do que rolou na IDF 2009”.

O novo paradigma para a troca de dados foi desenvolvido pela Intel com o apoio da Apple. A transmissão ótica proporcionada pela Light Peak atinge a incrível marca de 10 gigabites por segundo, bem mais que qualquer tecnologia presente nos equipamento que utilizamos atualmente.

Quando o mecanismo foi anunciado no ano passado, o vice-presidente da Intel, David Perlmutter, afirmou que seria possível transferir o conteúdo de um disco de Blu-ray em apenas 30 segundos. O USB 3.0, ainda pouco difundido, é o único a se aproximar das marcas da Light Peak.

A expectativa era de que a Ligh Peak chegasse ao mercado já em 2010, fato que dificilmente se concretizará. Entretanto, rumores voltam a prever a tecnologia para uma data bem mais próxima que a esperada. Os boatos que circulam entre sites e serviços de tecnologia indicam que a novidade seja aplicada a eletrônicos ainda no primeiro semestre de 2011.

A tecnologia continuou sendo aperfeiçoada, mas ainda não obteve "maturidade" para encarar o mercado. A tentaiva de antecipar sua comercialização aconteceu por dois motivos: Steve Jobs declarou que o USB 3.0 não estaria pronto para os Macs e a Intel quer lançar seu produto antes que a nova versão de USB ganhe espaço.

Seriam apenas novas especulações? Ou será que teremos um condutor velocíssimo de dados em breve? Fique de olhos nos artigos do Baixaki para acompanhar o desfecho desta história.

Cupons de desconto TecMundo: