O CEO da Intel, Brian Krzanich, acredita que muito em breve começaremos a ver wereables que não se assemelham ao nosso atual paradigma para este tipo de acessório, isto é, uma pequena tela com um sistema capaz de rodar diferentes tipos de aplicativos.

A Intel está muito interessada neste mercado no momento, recentemente eles compraram a Basis, uma empresa de wereables, por cerca de 100 milhões de dólares. A empresa não é a única, e vemos que este novo nicho tem se tornado o foco da atenção de gigantes como a LG e a Samsung, bem como startups como a Pebble e a Meta.

Atualmente, temos duas grandes tendências no mercado de wearables, primeiramente dispositivos voltados para a conexão com smartphones, capazes de repassar suas notificações. Em segundo lugar temos os tradicionais dispositivos de fitness, que medem passos, estado do sono e outras coisas semelhantes.

A compra da Basis

No caso do dispositivo principal da Basis, ele era um pouco maior do que os demais competidores, mas possuía uma ampla diversidade de medição de dados. Custando 150 dólares, o dispositivo foi atraente o suficiente para chamar a atenção da Intel, que optou por comprar a empresa responsável por ele.

Para os desenvolvedores que trabalham na Intel, a compra da nova companhia será essencial para o seu plano de wearables no futuro:

“Se você olhar o Basis B1, a tecnologia de sensores é incrível. Se você olhar comparar a quantidade de dados por hardware que ele é capaz de assimilar, a diferença é fantástica. Eles passaram muito tempo desenhando as melhores formas de se captar movimentos corporais, e qualquer coisa que você queira fazer neste campo é garantido que será bem capturado pelo aparelho.”

De acordo com Krzanich, um novo modelo do B1 será lançado esse ano, e ainda que ele prometa ser melhor do que seu antecessor, o CEO acredita que o futuro está no trabalho conjunto com diferentes parceiros para colocar seu sistema em dispositivos de formatos e funções muito distintas.

Mudando o paradigma de wearables

“Nós temos um excelente produto final, sensores incríveis, todos com componentes que podem ser transferidos para qualquer outro dispositivo”, diz Krzanich. De fato, a Intel é conhecida por deixar a sua tecnologia disponível para outras empresas. “Nós não queremos entrar no mercado de dispositivos, vamos deixar que os nossos parceiros façam isso por nós”.

Incrivelmente o CEO parece não estar se referindo as parcerias mais tradicionais da Intel, e aparentemente o primeiro produto terceirizado que utilizará a tecnologia da Basis fará a sua estreia no fashionweek de Nova York. Krzanich disse também que os próximos produtos provavelmente parecerão mais com um acessório de moda, do que com os wearables que temos visto hoje em dia.

Tudo isso demonstra uma tentativa da Intel de aumentar ainda mais este mercado, se hoje em dia muitas mulheres não usam alguns wearables porque eles são feios, a nova geração promete ser desenhada para agradar diferentes estéticas, empregando novos modelos e formatos. Desde joias que sejam inteligentes, até relógios mais bonitos e elegantes para outros gostos.

Cupons de desconto TecMundo: