Já faz alguns meses que a Intel apresentou os novos processadores Core M, que trazem a nova microarquitetura Broadwell de 14 nanômetros. Mas o que ainda não havia sido revelado eram as intenções da fabricante norte-americana com os novos chips com processos menores. Agora, a própria Intel lançou um comunicado mostrando tudo o que podemos esperar para o futuro com os processadores Core M.

Assim como você já deve estar imaginando, os chips prometem a dupla de avanços que todas as gerações de processadores precisam mostrar: maior performance e menor consumo de energia elétrica. Mas a verdade é que isso é só o começo, pois os dispositivos devem ir bem além, pois é esperado que eles possam equipar computadores domésticos, infraestrutura de computação em nuvens, computação mobile e “Internet das Coisas”.

Os benefícios do Core M

A arquitetura Broadwell é a primeira da Intel a usar processos de 14 nanômetros. Isso significa que os sistemas poderão ser construídos com wafers mais finos, gerando menos calor ou barulho nas ventoinhas durante a execução das tarefas. A Intel ainda diz que a geração de calor pode ser reduzida drasticamente quando comparada à geração anterior. Vale dizer que menos desperdício pode significar economia de energia.

Em relação aos transistores, o Core M usa a segunda geração dos Tri-gate — o que significa, segundo a própria Intel, menores custos por cada transistor, ao mesmo tempo em que há maior densidade e poder de processamento nos chips. A tecnologia de 14 nanômetros nos processamentos deve ser empregada não apenas em computadores, mas também em servidores e diversos aparelhos nos conceitos de “Internet das coisas”.

Em nota oficial, a Intel afirma que os primeiros processadores Intel Core M estarão disponíveis no mercado no período de compras do final deste ano, sendo que uma maior abrangência nas montadoras de computadores deve ser atingida somente na segunda metade de 2015. Nos próximos meses a empresa ainda deve anunciar detalhes sobre cada um dos processadores dentro da nova linha.

O que é internet das coisas?

Para quem ficou com a dúvida, aí vai uma breve explicação. O conceito de “Internet das coisas” diz que um aparelho com conexão à internet pode ter acesso à rede e se comunicar com outros dispositivos. Dessa forma, a “Internet das coisas” deveria permitir que smartphones controlassem eletrodomésticos, por exemplo.

Cupons de desconto TecMundo: