(Fonte da imagem: Reprodução/Gizmodo)

Segurem suas taças porque a Intel está transformando vinho em eletricidade para alimentar seus processadores. Calma, sua adega está segura, e os chips do seu computador não vão sair em busca do seu abridor de garrafas.

Ainda que não estejam saboreando as delicias do vinho, os chips agora podem se alimentar – ainda que energeticamente – deles. A ideia é divertida, mas cientificamente mais simples do que você imagina.

A Dra. Genevieve Bell, da Intel, fez recentemente a demonstração de seu experimento, ligando um processador de baixo consumo de energia a uma taça de vinho. Ela conectou dois eletrodos na taça, os quais então reagiam com o ácido acético produzido pela bebida.

A quantidade de energia, ainda que baixa, era suficiente para fazer o chip funcionar. Modelos semelhantes a este são conhecidos de estudantes colegiais que produzem eletricidade ligando eletrodos em batata.

Bell queria mostrar, no entanto, que mesmo uma baixa quantidade de energia poderia rodar uma peça de silício da empresa. A proposta de diminuir o consumo de eletricidade dos processadores tem como objetivo levar a tecnologia a regiões menos desenvolvidas do planeta.

Tudo muito bem intencionado, mas certamente os chips de computadores nas áreas mais pobres do globo não serão alimentados com uma garrafa de Pinot Noir, não é mesmo?

Cupons de desconto TecMundo: