(Fonte da imagem: Reprodução/Fraunhofer Institute)
A mesma tecnologia que permite que a humanidade possa trocar de canal da televisão sem precisar se levantar do conforto de seu lugar no sofá agora também pode ser a grande responsável pela criação de um aumento considerável na velocidade de transferência wireless de arquivos entre dispositivos.

Isso porque pesquisadores do Fraunhofer Institute for Photonic Microsystems, da cidade de Dresden, conseguiram melhorar consideralvemente a tecnologia, tornando o sinal mais forte e, o mais importante, capaz de enviar informações mais rapidamente.

Com isso, os pesquisadores conseguiram uma taxa de transferência de 1 gigabit por segundo – feito que torna o infravermelho 46 vezes mais rápido que o Wi-Fi convencional e 1,4 mil vezes mais rápido que o Bluetooth. O hardware necessário para isso (que consiste em emissores e receptores menores que uma unha) pode ser instalado facilmente em smartphones, possibilitando a transferência de vídeos em resolução HD em apenas poucos segundos.

Mesmo com tantos avanços, no entanto, a tecnologia ainda conta com algumas limitações. Como qualquer pessoa que já tenha disputado a posse do controle remoto sabe, o sinal infravermelho pode ser bloqueado facilmente, necessitando que os dois dispositivos conectados estejam alinhados para que tudo funcione.

 Fonte: Fraunhofer Institute

Cupons de desconto TecMundo: