Pesquisadores dos Laboratórios HRL, em Malibu, EUA, publicaram na revista Science um artigo que descreve uma descoberta que pode melhorar o desempenho veículos hipersônicos e também de turbinas de jatos comuns. Eles desenvolveram um novo tipo de cerâmica fabricada a partir de um processo chamado estereolitografia, que basicamente imprime em 3D o material que, posteriormente, é aquecido para ganhar resistência.

Diferente da impressão 3D de materiais cerâmicos utilizada atualmente, esse processo garante que o material consiga suportar temperaturas altíssimas, de até 1.300 °C, com certa facilidade. Outros tipos de cerâmica derretem a temperaturas muito mais baixas que isso. Dessa maneira, o material seria ideal para produzir isolamento térmico e peças internas de turbinas em veículos como os citados acima.

Mais força

O procedimento diferenciado não apenas resulta em uma cerâmica com mais resistência ao calor, mas também garante mais força. Peças feitas com isso só quebram com muito mais pressão que o normal, e há ainda a possibilidade de se trabalhar padrões muito elaborados, como os que você vê no vídeo. Dessa forma, consegue-se peças ainda mais fortes.

A construção dessas peças é feita em uma impressão 3D diferenciada, que usa luz ultravioleta para juntar pequenas moléculas de carboneto de silício (um pó fino). Com essa junção inicial, o formato da peça já é criado e, em seguida, ela é aquecida a 1.000 °C para ganhar resistência.

Ainda não há informações sobre a possibilidade de começar usar essa cerâmica em aplicações comerciais, mas o laboratório deve começar a trabalhar nisso em breve.

Cupons de desconto TecMundo: