Pode parecer que chegamos ao ponto em que a tecnologia se torna um pouco macabra — ou bizarra. A L'Oreal, que já desenvolve amostras de pele humana dentro dos próprios laboratórios na França, agora quer imprimi-los utilizando impressoras 3D. A companhia até estabeleceu uma parceria com a Organovo, uma startup que usa tecnologia de "bioimpressão" capaz de replicar tecidos humanos.

Segundo o Bloomberg, a ideia da L'Oreal é aumentar em quantidade e velocidade a produção das peles com a tecnologia. O processo da Organovo envolve identificar elementos de composição e arquitetura-chave do tecido desejado. Assim, é possível criar uma "biotinta", ou uma construção multicelular. De acordo com a empresa, a pele é construída em camadas verticais.

A estratégia atual da L'Oreal também parece saída de um filme sci-fi de terror: ela quebra os tecidos em células e então as alimenta com uma dieta especial. Depois disso, as células crescem em um ambiente que imita o corpo humano. Anualmente, a companhia produz 100 mil amostras de pele. Juntas, elas cobrem um espaço de cinco metros quadrados.

Entretanto, a maioria das peles de laboratório é utilizada para testes de novos produtos. Outra parte é destinada à indústria farmacêutica.

Cupons de desconto TecMundo: