Unindo as últimas tendências de impressão 3D com nanotecnologia, a IBM criou um aparelho que se mostrou capaz de imprimir aquela que pode ser considerada a menor capa de revista do mundo, com direito à certificação do Guinness Book. Realizado em parceria com a National Geographic Kids, a parceria resultou em uma imagem tão pequena que é necessário reproduzi-la 2 mil vezes para preencher a superfície de um único grão de sal.

Segundo o Dr. Colins Rawlings, físico da IBM Research, o resultado é tão pequeno que, mesmo com o auxílio de um microscópio, a capa da revista aparece de maneira borrada. Assim, para conseguir observar a imagem criada em sua totalidade é necessário recorrer a um microscópio eletrônico, equipamento que não é exatamente comum de ser encontrado facilmente.

Ao contrário das impressoras 3D tradicionais, que formam objetos através de diversas camadas, o dispositivo usado pela IBM remove materiais para realizar seu trabalho. A ponta de silício da nanoimpressora é capaz de atingir até 1.000° C, literalmente vaporizando o polímero utilizado como material para criar um objeto, tal qual um escultor trabalha o mármore ou um entalhador trabalha com um tronco de madeira.

Trilhando o caminho para processadores do futuro

Foram necessários 10 minutos de trabalho constante para que o dispositivo conseguisse criar uma réplica exata da capa da National Geographic Kids em tons de cinza. Segundo Rawlings, a invenção, que está sendo usada comercial pela Universidade de McGill, no Canadá, é uma ótima ferramenta para a criação rápida de protótipos.

(Fonte da imagem: Divulgação/IBM Research)

“Cientistas cometem vários erros, então ser capaz de criar protótipos rapidamente e de forma precisa é algo muito importante para o que fazemos”, explica o pesquisador. A intenção é a que a nanoimpressora ajude a criar futuros processadores da IBM, que atualmente trabalha com um processo de 22 nanômetros, enquanto o novo equipamento lida facilmente com objetos de 8 nanômetros.

Cupons de desconto TecMundo: