Imagem de: Brasileira ganha prêmio com projeto de impressora 3D que faz comida

Brasileira ganha prêmio com projeto de impressora 3D que faz comida

1 min de leitura
Avatar do autor

(Fonte da imagem: ElectroluxDesignLab)

A tecnologia por vezes traz a nós situações e invenções inusitadas. A impressora 3D é uma delas. E a brasileira Luiza Silva está aí para provar que a tese é verdadeira: Luiza conquistou recentemente o segundo lugar em uma competição global de design com uma impressora 3D que permite a crianças imprimirem, ou melhor, produzirem sua própria comida.

Com um projeto denominado Atomium, ainda sem data de lançamento, Luiza abocanhou um prêmio de € 3 mil na competição Design Lab 2013, promovida pela Electrolux. O valor equivale a R$ 9 mil. Isso porque a brasileira ficou em segundo lugar. A primeira posição foi conquistada por um sistema robotizado para limpeza de casas. Os competidores elaboraram projetos em cima do tema “vida urbana”.

O projeto de Luiza partiu do pressuposto da dificuldade que existe ao dar comida às crianças, principalmente quando opções saudáveis são consideradas. Com 24 anos de idade, a brasileira cursa Design Industrial em Curitiba e atualmente está num intercâmbio na Coreia do Sul. Empolgada com o projeto, que pode sair do papel em algum momento do futuro, Luiza resume sua ideia de forma simples: “A impressora 3D seria um modo seguro e divertido de a criança participar do processo de produção e se alimentar”, explicou.

E como é que se faz uma impressora assim?

A partir de pesquisas de campo e estudos já realizados, Luiza desenvolveu um sistema com base em nada menos que 20 moléculas extraídas de alimentos – ferro, fibra, carboidrato, proteína e sódio, por exemplo. Essas moléculas seriam a “tinta” da impressora e, segundo Luiza, o processo seria como desmaterializar a comida em sua base orgânica.

“Imagine desmaterializar a comida em sua base, que são as moléculas, e reestruturá-la de maneiras diferentes. Seria possível criar uma enorme variedade de alimentos”, disse.

A impressora foi batizada de Atomium 3D e aposta na interação das crianças com a máquina para que elas comam melhor. O projeto ainda não tem previsão de lançamento no mercado.

Mas você já pode ir pensando no seu video game em forma de bolo aí.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Brasileira ganha prêmio com projeto de impressora 3D que faz comida